Dave Grohl conta em biografia que desistiu do Nirvana em 1993

Estadão

30 de setembro de 2011 | 12h03

do Território Eldorado

Prestes a ser lançado, o livro This Is A Call: The Life and Times of Dave Grohl revela que o então baterista, já cansado com as tensões internas da banda, desistiu de vez do Nirvana quando ouviu Kurt Cobain criticar seu trabalho durante uma viagem de avião.

O livro de Paul Brannigan, que será lançado em 29 de setembro, explica que, em 1993, o grupo havia se dividido em duas partes, com Grohl e o baixista Krist Novoselic em um lado, e Cobain e a esposa Courtney Love no outro.

Vocalista do Foo Fighters

Vocalista do Foo Fighters – Tobin Grimshaw/AP

Veja também:
Rádio de Seattle divulga três gravações inéditas de ‘Nevermind’
Primeira mixagem de Nevermind foi desastrosa, revela Butch Vig
– PLAYLIST: Ouça músicas do Nirvana!

Durante um voo com a banda, de Seattle para Los Angeles, Grohl ouviu o líder do grupo dizendo que ele era um “baterista de m****”. No final da viagem, Novoselic comentou com Grohl que o que Kurt Cobain queria era que ele tocasse como o baterista Dan Peters, do Mudhoney, que integrou a banda por um breve período antes dele.

Esta foi a gota d’água para o músico, que conversou com o tour manager Alex McLeod, dizendo que queria deixar o grupo. Felizmente, o empresário o acalmou – e ele decidiu ficar e continuar o trabalho da forma mais profissional possível.

Brannigan, que é ex-editor da revista Kerrang!, diz que, se o Nirvana ainda estivesse em atividade, Grohl provavelmente não seria parte do grupo: “Dave era muito consciente de que o Nirvana era Kurt e Krist e que, como amigos de longa data, eles compartilhavam um vínculo que ia muito além da música”.

Tudo o que sabemos sobre:

Dave GrohlFoo FightersNirvana

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: