Cinco negócios que crescem por causa do rock

Estadão

15 de julho de 2012 | 10h27

Estadão PME

Divulgação
Divulgação
Led Zeplin é uma das bandas mais exploradas comercialmente na história

 O Dia Mundial do Rock reforça não apenas o sucesso deste estilo musical. Ele também mostra que o rock pode ser um bom negócio para empresas instaladas ao redor do mundo. Pensando nisso, o Estadão PME separou cinco histórias de empreendimentos que apostam no segmento para ganhar relevância.

Um dos principais exemplos é a loja It´s Only Rock´n Roll, que funciona na rua Fradique Coutinho, 833, no bairro de Pinheiros (São Paulo). No site oficial da empresa, os fundadores assinam um manifesto em defesa do negócio, é claro, mas também do estilo musical.

“Nós, os fundadores da It´s Only Rock’n Roll, acreditamos no poder do Rock. Profundamente influenciados pelas músicas, pelas letras e pelos ídolos dos anos 60, 70, 902, 90, etc., decidimos que nossas vidas devem ter mais e mais Rock’n Roll. Decidimos inaugurar um marco, uma casa onde o Rock esteja presente, sempre presente”, afirma trecho de comunicado postado no site da empresa.

A loja, especialista em vender produtos oficiais de bandas de rock, tem uma infinidade de camisetas, chaveiros, canecas, calendários e até cadarços. Tudo, é claro, inspirados no rock.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.