Brian Setzer e seu impecável solo de guitarra

Estadão

10 de março de 2013 | 16h33

Caderno 2 – O Estado de S. Paulo

Havia uma tensão quase que insuportável na pista e no palco do Montreux Cassino, na noite de 10 de julho de 1981. Quem estava sob os holofotes daquele Montreux Jazz Festival eram três rapazes que haviam acabado de lançar seu segundo álbum, Rock This Town, sedimentando uma explosão que as gravadoras ainda tentavam assimilar.

O Stray Cats, do fenomenal guitarrista norte-americano Brian Setzer, começava a década de 80 como se estivesse na de 50 e recrutava uma multidão para segui-lo. Garotos de jaquetas de couro se acotovelavam no Cassino, tornando a pista um barril de pólvora. Setzer entrou cabreiro ao lado do baixista Lee Rocker e do baterista Slim Jim Phantom para uma sessão felizmente gravada pelas câmeras do festival, transformadas agora em DVD.

Os garotos se empurravam de um lado a outro e bebiam como loucos enquanto o trio mandava hits atômicos, à época saídos do forno, como Stray Cat Strut, Rock This Town e Runaway Boys.

À medida em que o som rolava e a dinamite não explodia, Setzer ganhava confiança e se soltava. O baixista tirou a camisa, tirou os sapatos e subiu sobre seu baixo acústico sem parar de tocá-lo. Phantom passou a agredir seu set de bateria (apenas uma caixa, um prato e um bumbo) com fúria na casa que há até poucos anos era exclusiva dos jazzistas.

O vídeo tem limitações técnicas de época, o que só valoriza esse Live In Montreux como material histórico. E mostra sobretudo o nascimento de um dos maiores guitarristas do mundo, Brian Setzer, que só não ficou ainda maior para o grande público porque jamais traiu um gênero que decidiu hastear como bandeira.

 STRAY CATS – Stray Cats – Live in Montreux (1981) – Selo: ST2 Video

Preço médio: R$ 35. 

Tudo o que sabemos sobre:

Brian SetzerStray Cats

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: