Black Sabbath no Rio: público correu riscos na Apoteose

Estadão

14 de outubro de 2013 | 17h00

Marcos Bragatto – site Rock em Geral

blacksabbathUma tragédia parecida com a ocorrida em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, em janeiro, está perto de acontecer na Praça da Apoteose caso os organizadores não modifiquem a estrutura e o leiaute adotado no show do Black Sabbath (veja como foi aqui), que aconteceu neste domingo.

Acessos estreitados por grades, gradis externos tapados por tapumes de alumínio, portões de acesso/saída trancados com cadeados e banheiros químicos instalados no meio da passagem foram alguns dos problemas que dificultaram o escoamento do público, sobre tudo na saída. Tais empecilhos teriam sido fatais no caso de um problema que causasse correia e/ou pânico na multidão de cerca de 35 mil pessoas que estava no local.

O acesso à Pista Premium, por exemplo, cujos ingressos foram vendidos por salgados R$ 600, já estreito, espremido entre a escola que funciona sob as arquibancadas e a grade externa, sofria um estreitamento ainda maior por conta de uma grade pintada de azul, que parece ter sido instalada recentemente no local. Assim, o espaço para a saída só permitia a passagem de duas ou três pessoas de uma vez. Dificilmente o Corpo de Bombeiros, ao fazer uma vistoria num local que recebe grandes plateias, libera um evento nessas condições.

Na saída, os portões laterais que permitem a saída ao acesso do Túnel Santa Bárbara e à Rua Frei Caneca estavam todos trancados à chave. Um senhor aparentemente responsável pelo local, ao ser perguntado por este repórter, alegou que se tratava “de ordens superiores”, de forma debochada. Assim, todo o público da Pista Premium teve que sair pelo único portão disponível, no início da Passarela do Samba, junto à Rua Benedito Hipólito, por onde também saía todo o restante do público.

Na próxima sexta se apesentam na Apoteose as bandas Aerosmith e Whitesnake. Taí uma bia oportunidade de resolver o problema, mesmo considerando que a quantidade de público não deve ser tão grande.

Tudo o que sabemos sobre:

Black Sabbath

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.