Black Mountain e StaggeringBack, o novo 'soft hard rock'

Estadão

01 de outubro de 2010 | 16h36

Marcelo Moreira

Guitarras fortes, mas não muito pesadas, com clima folk predominando na maior parte das músicas. Essa é uma nova tendência que começa a ganhar espaço no mercado, lago como um “soft stoner rock”, indo além do que faz hoje a banda norte-americana Wilco.

As duas principais bandas desta tendência, se é que podemos chamar assim, são Black Mountain e StaggeringBack, que lançaram em setembro seus novos trabalhos – elogiados pela crítica inglesa.

O Black Mountain é uma banda canadense folk rock/stoner rock liderado por Stephen McBean. A banda faz uma espécie de revival do rock psicodélico dos anos 60/70 com guitarras mais pesadas e passagens progresivas. As influências da bandas são Neil Young, Led Zeppelin, The Doors, Jimi Hendrix, Pink Floyd, The Velvet Underground e Black Sabbath, de acordo com o site da banda.

O novo trabalho, “Wilderness Heart”, acentua os duetos entre McBean, que canta e toca guitarra, com a doce vocalista Amber Webber. Merecem destaque também os inspirados solos de guitarra, especialmente nas músicas mais pesadas.

O StaggeringBack é norte-americano e tem a base de sua música no duelo de guitarras de Eric Butera (que é o vocalista principal) e Russ May. “Busted Down”, o álbum, é mais calcado no hard rock, mas abusa, no bom sentido, das guitarras acústicas e violões de corda de aço, ora esbarrando no folk, ora no country.

Em alguns momentos, o som lembra o Great White, outro ícone do hard rock oitentista dos Estados Unidos. Butera consegue em várias passagens atingir o mesmo tom de Jack Russell, o cantor do Great White, principalmente nas faixas onde o clima folk predomina. Curiosamente, é o Black Mountain que emula na capa de seu novo álbum o tubarão, mascote característico do Great White. Ouça Staggerinback sem preconceitos.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.