Black metal em pleno sábado de carnaval em SP

Estadão

24 Fevereiro 2012 | 17h00

Paulo César Dantas – especial para o Combate Rock

Os apreciadores de black metal costumam chamar os grupos de fãs do estilo de “hordas”, rememorando os tempos antigos onde povos nórdicos, notadamente vikings, aterrorizavam diversos locais da Europa ainda na Alta Idade Média. Pois hordas de verdadeiros apreciadores do oculto e do extremo se reuniram no sábado de carnaval para execrar a festa mundana e asquerosa que domina país nesta época e celebrar a música mais pesada que existe.

O Hangar 110 ignorou as hordas de seres humanos inomináveis que tomaram conta do Anhembi e arredores para celebrar o black metal das bandas brasileiras Unearthly, Anarkhon e Desecrated Sphere e da atração internacional, os belgas do Aborted, sob organização da Tumba Records.

O Anarkhon e o Desecrated Sphere fizeram apresentações corretas e insanas, aquecendo o ambiente para recepcionar o peso extremo do Unearthly, banda carioca que está crescendo rápido no cenário brasileiro. Com um show econômico e muito pesado, o grupo apresentou algumas faxias de seu mais recente trabalho, “Flagellum Dei”, o melhor álbum de black metal já gravado no Brasil. Uma aula de peso com “Age of Chaos”, “Black Sun” e “Flagellum Dei”.

Os belgas do Aborted, banda fundada em 1995, não deixaram o clima esfriar e desfilaram pancadas atrás de pancadas. O som lembra o splatter/grindcore de bandas como Carcass ou Cannibal Corpse, ora resvalando no black metal. Foram 13 músicas velocíssimas e pesadas, com uma peada absurda de guitarra e de bateria.

 Um grande show de uma grande banda extrema, com a presença de bom público e a visível satisfação do grupo belga por ter tocando no Brasil e ajudado parcela expressiva dos roqueiros paulistanos a se desintoxicar do samba e do pagode deprimentes impregnados na atmosfera.