Black Country Communion libera download gratuito de nova música

Estadão

20 de setembro de 2012 | 12h02

do site Blabbermouth.net – versão brasileira publicada no site Whiplash, com tradução de Nathália Piá

“Confessor”, uma novíssima música do — o grupo de rock anglo-americano que reúne o vocalista/baixista Glenn Hughes (Deep Purple, Trapeze), o baterista Jason Bonham (Led Zeppelin, Foreigner), Derek Sherinian (Dream Theater, Alice Cooper, Billy Idol) e o guitarrista/vocalista de blues-rock Joe Bonamassa — está disponível para dowload gratuito aqui mediante inscrição de e-mail. A faixa saiu do terceiro álbum da banda, “Afterglow”, que será lançado no dia 30 de outubro (internacionalmente um dia antes).

Assim como seus dois predecessorres, o “Afterglow” foi supervisionado por Kevin Shirley, que possui um catálogo de discos de sucesso do Led Zeppelin, Iron Maiden, Aerosmith, Journey, Black Crowes e muitos mais que o tornaram um dos produtores mais aclamados do rock. Shirley — que teve a idéia de colocar Hughes e Bonamassa juntos em uma banda após vê-los tocando em Los Angeles em novembro de 2009 — é o “quinto membro” extraoficial da banda.

A inclusão de Jason Bonham, estimado filho de John, do Led Zeppelin, que substituiu seu pai quando o lendário grupo fez história na música ao se reunir na O2 Arena em Londres em dezembro de 2007, e o demandado Derek Sherinian, os fizeram uma força a se reconhecer. Um ar de expectativa e empolgação saúda a revelação do “Afterglow”.

Quando lançado em setembro de 2012, a autointitulada estréia do BCC foi descrita pela revista Classic Rock como “possivelmente o melhor álbum de hard rock de 2010,” enquanto a revista Mojo o concedeu 4 estrelas. O Music Radar aclamou o disco como “uma potente e arrebatadora coletânea de roqueiros de riffs pesados que vai, sem dúvida, atordoar os ouvintes”.

Durante sua primeira semana de lançamento no Reino Unido, o álbum alcançou a posição #1 na tabela Top 40 Rock Albums. Foi votado #3 na enquete “Critics Album Of The Year” da revista Classic Rock e os ouvintes da rádio Planet Rock coroaram o BCC como a “Melhor Nova Banda” de 2010.

Lançado há apenas nove meses, a tempo de uma bem recebida vaga no festival High Voltage em Londres, o “Black Country Communion 2” foi mais sombrio e profundo que seu predecessor. Mais uma vez ele chegou ao topo das paradas da Rock Albums do Reino Unido. A banda também recebeu o prêmio de “Melhor Artista em Ascensão” na prestigiada cerimônia Roll Of Honour da revista Classic Rock. Reconhecendo que é necessário ouvir mais de uma vez para se apreciar completamente a “profundidade e maestria” do álbum, essa mesma revista acertadamente disse que o “BCC2” tem “uma sólida música clássica após a outra”.

Dessa vez, estando o Bonamassa ocupado percorrendo milhas para promover seu maior disco solo até então — “Driving Towards The Daylight” que alcançou a posição No. 2 na tabela Top 40 Albums do Reino Unido — o Black Country Communion (o distinto nome é uma referência à região industrial nas Midlands do Reino Unido onde Hughes e Bonham foram nascidos e criados) teve bem mais tempo para preparar “Afterglow”… e isso é aparente.

“Foram seis meses para compor esse álbum, e eu estou empolgado de verdade com o resultado”, comentou Glenn Hughes, o homem responsável pela maior parte do conteúdo do álbum. “Eu queria fazer um disco que fizesse frente aos dois primeiros, mas não repetir nenhum desses discos. Não faria absolutamente nenhum sentido começa-lo com uma música como a ‘Black Country’ [a distintamente energética faixa que deu início à estréia].”

A banda se reuniu para gravar o “Afterglow” em um estúdio em Westlake Village, a aproximadamente 100 km de Hollywood, durante cinco dias extremamente produtivos. Suas 11 músicas foram preparadas para deleitar os fãs com um hard rock de alta qualidade, e também aqueles que admiram cantores distintos. Hughes não é conhecido como A Voz do Rock a toa.

Em termos de conteúdo, o “Afterglow” se expande através da progressão que teve lugar entre o “BCC” e “BCC2”. Rico em ganchos, melodias e refrões, é nada mais do que mais um daqueles álbuns altamente recompensadores com um resultado diferenciado.

“Eu quis que esse álbum tivesse mais momentos acústicos do que os dois anteriores”, explica Hughes. “Eu quis ouvir mais o Derek [Sherinian] e eu queria uma voz mais angelical do Glenn bem como aquela mais agressiva que tem em músicas como a ‘Crawl’ and ‘Midnight Sun’, sobretudo, eu queria mais drama.”

Hughes divide os vocais com Bonamassa na canção “Cry Freedom”. “O som do vocal que o Kevin tirou nessa agravação não fica atrás de nenhum outro — é o melhor trabalho dele até então com o BCC”, acredita Hughes. “Batemos cabeça um pouco no primeiro e segundo álbuns, simplesmente porque somos dois obcecados por controle, mas esse foi o disco no qual Kevin e Glenn ficaram amigos”.

De fato, Hughes fala de Shirley com o maior entusiasmo possível. “O Kevin precisa apenas de três horas de sono por noite; ele é super, hiper inteligente”, disse Glenn. “Ele dá suas chibatadas mas ele também sabe exatamente do que está falando quando se trata de música”. O Black Country Communion espera fazer turnê pelo “Afterglow” no início de 2013.

Imagem

 

Tudo o que sabemos sobre:

Black Country CommunionGlenn Hughes

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.