As múltiplas faces de David Bowie

Estadão

13 de agosto de 2011 | 06h40

Márcio de Paula Moraes – Laboratório de Temas *

Falar sobre David Robert Haywood-Jones parece fácil, mas não é. O artista britânico que apareceu para a música na primeira metade dos anos 60. Paralelamente a ele, surgiram também, na mesma Inglaterra, The Beatles, The Who, The Rolling Stones, Pink Floyd…

Por que falar de Davy Jones é difícil? Talvez porque ele seja um dos artistas musicais que mais mudou de estilo na carreira. Do rock’n’roll original inglês, característico dos anos 60, Jones passou a ser o fundador do Glam Rock. Essas mudanças lhe renderam o título de Camaleão do Rock.

David Bowie nasceu na cidade de Londres, Inglaterra, em 8 de janeiro de 1947. No início da carreira, ainda participou de grupos usando o verdadeiro nome, como Davie Jones and the King Bees (1964) e Davy Jones and The Lower Third (1965), chegando a gravar compactos sem maiores repercussões.

Bowie nasceu para ocupar um espaço na indústria musical que parecia estar reservado só para ele. o Camaleão fez nome na cena musical no final dos anos 60 e início dos 70. Em 1969, lançou o singles Space Oddity (a música já havia sido composta em 68, mas decidiu lançá-la em 69 para coincidir com a data da chegada do homem a Lua), e chegou entre as Top 5 das paradas inglesas.

 Bowie: visual andrógeno Na sequência, The Man Who Sold the World (1970), Bowie mostra-se mais agressivo, com uso de guitarras mais pesadas. Em Hunky Dory (1971), o carro chefe do disco fica com a faixa Chances. O disco não teve lá grandes repercussões, mas evidenciou que na carreira dele muitas outras mudanças poderiam acontecer. No entanto, Hunky Dory manteve Bowie nas paradas de sucessos.

 O salto inigualável na carreira de Bowie, sem dúvida, foi o disco conceitual The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars, que narra a história de um alienígena que aterrissa num mundo predestinado a acabar em cinco anos. Com o álbum, o criador de Ziggy passou a ser considerado definitivamente um Rock Star.

O clássico "Ziggy Stardust"

Bowie ainda teve fôlego para criar duas obras primas do catálogo mundial do rock, com os álbuns Aladdin Sane (1973) e Daimond Dogs (1974).

Talvez, a partir deste ponto, Bowie efetivamente, apresente motivos para que a mídia o denominasse de Camaleão do Rock. Em Young American (1975), ele mostra facetas que migram do pop para soul music.

Scary Monsters também segue essa tendência, com destaque para a faixa Ashes to Ashes. Na fase Berlim, Bowie entra numa etapa ácida, com experimentações musicais alternativas e um tanto quanto sem sentido aparente. Mas mostra o quanto o artista é sensível à mudanças e, também, revelam as pirações alucinógenas que migravam pelas alamedas bowieanas…

O fato é que David Bowie é um marco na história da música. Um dos nomes mais importantes da história do rock.

 

DISCOGRAFIA “db”

David Bowie (1966)
Space Oddity (1969)
The Man Who Sold The World (1970)
Hunky Dory (1971)
The Rise Fall of Ziggy Stardust and from Mars (1972)
Aladdin Sane (1973)
Pin Ups (1973)
Diamond Dogs (1974)
Young American (1975)
Station to Station (1976)
(*)Low (1977)
(*)Heroes (1977)
(*)Lodger (1979)
Scary Monsters (and Super Creeps) (1980)
Let’s Dance (1983)
Labyrinth (soundtrack – 1983)Tonight
Tonight (1984)
Never Let Me Down (1987)
Tin Machine ( Bowie with Tin Machine – 1989)
Tin Machine II (1991)
Black Tie White Noise (1993)
The Buddha of Suburbia (1993)
Outside (1995)
Earthling (1997)
Hours (1999)
Heathen (2002)
Reality (2003)

Toy (2011) lançado na Internet

*Márcio de Paula Moraes é jornalista, professor e editor do site Laboratório de Temas – www.laboratoriodetemas.com
 

 

Tudo o que sabemos sobre:

David Bowie

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: