Apple disponibiliza em seu site show dos Beatles de 1964

Estadão

21 de novembro de 2010 | 16h31

Marcelo Moreira

O prolífico baú de bondades dos Beatles continua rendendo frutos e nada indica que que tenha fundo. Depois de as músicas do grupo inglês receberem a autoização para serem vendidas pelo iTunes, a emrpesa que ainda controla parte dos direitos e acervo do quarteto, a Apple, disponibilizou o show dos Beatles de 11 de fevereiro de 1964 no Washington Coliseum, na capital norte-americana, em comemoração ao lançamento na loja virtual.

A curiosidade da gravação começa pela narração que abre o arquivo, em tom emotivo e ufanista. “Em 1964, os americanos encontraram uma enorme felicidade para substituir a grande tristeza após o assassinato do presidente Kennedy. Eles encontraram isso a partir de quatro jovens homens de Liverpool: os Beatles.”

O show é um fiel retrato do que era a beatlemania em seu começo, já que os Beatles faziam a sua primeira turnê americana. Os sucessos que mandavam nas paradas na época eram “I Saw Her Standing There,” “She Loves You,” e “I Want to Hold Your Hand”, presentes na apresentação, assim como “All My Loving”, grande hit do segundo álbum da banda, “With the Beatles”, do final de 1963 – segundo a discografia oficial inglesa.

A banda em uma das apresentações no Hollywood Bowl, em 1965

Quem compra a a coleção completa dos CDs dos Beatles pelo iTunes ganha uma cópia integral do show , que pode ser visto na íntegra no site da Apple – www.apple.com/the-beatles/concert.

Para quem não quer ter tanto trabalho para adquirir essa pérola de show, existe por aí, ainda em catálogo em lojas virtuais, o álbum “Live at the Hollywood Bowl”, que é uma compilação de músicas executadas em três passagens do quarteto pela casa de shows de Los Angeles.

Assim como a apresentação de Washington, as músicas de Holywood Bowl são quase inaudíveis, por conta da gritaria das fãs. Não espere qualidade, nem uma apresentação com poucos erros. John Lennon e Paul McCartney desafinam bastante e frequentemente atravessam o ritmo, assim como Ringo Starr.

A pós-produção fez o que pode para deixar os tapes minimamente audíveis e aceitáveis, mas é o único registro oficial em áudio dos Beatles. É um item obrigatório para quem gosta de rock.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: