Após vistoria, Justiça libera Rock in Rio

Estadão

19 Setembro 2013 | 13h00

Juíza considera sanados os problemas apontados pelo Ministério Público do Rio de Janeiro

Julio Maria / RIO

A juíza Marcia Castro, da 2ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro, determinou no início da noite desta quarta-feira que o Rock in Rio está apto a realizar seus shows na Cidade do Rock, de quinta e domingo. Segundo seu parecer, os problemas apontados pelo Ministério Público, relacionados ao atendimento médico, foram todos sanados, conforme apontou vistoria realizada na tarde desta quarta.

“O Rock in Rio atende a todas as solicitações”, escreveu ela. A Justiça levou em consideração o fato de não ter havido casos de pessoas sem atendimento médico nos dias de show, apesar da média alta de 80 mil fãs por data.


Vistoria do MP detectou 22 irregularidades nos postos médicos e juíza falou em suspensão; problemas sanados, shows retornam hoje (Foto: Marcos de Paula/ Estadão)


Julio Maria

O pesadelo durou exatamente um dia. Ontem, a produção do Rock in Rio amanheceu sobre uma bomba. O Ministério Público do Rio pedia a suspensão dos próximos shows, alegando falta de condições nas áreas de atendimento médico. Mesmo sem ter recebido o pedido de liminar encaminhado ao Tribunal de Justiça do Rio, a produção respondeu que “já estava tomando providências”.

Nas mãos da juíza Márcia Castro, da 2.ª Vara Empresarial do Rio, o alerta que era amarelo ficou vermelho: se não reparasse deficiências de estrutura que iam da falta de macas e equipamentos adequados a áreas de escape obstruídas, o Rock in Rio não seria realizado, sob pena de multa de R$ 10 milhões por dia caso desobedecesse a determinação.

Uma nova diligência foi realizada na Cidade do Rock, sob ordem judicial, no começo da noite de ontem. No fim, o alívio dos fãs e dos realizadores. “Eles consideraram agora tudo certo”, informou a chefe da assessoria do evento, Fabiana Guimarães. A mesma juíza reconhecia que o festival havia “sanado todas as solicitações” feitas pela Justiça, levando em consideração o fato de nenhum paciente ter ficado sem atendimento durante os shows de sexta, sábado e domingo. O evento foi liberado sem mais impedimentos, conforme considerou a magistrada.

Os pontos levantados pelo Ministério Público durante suas vistorias somavam 22 irregularidades. Eles indicavam desde problemas de falta de profissionais devidamente uniformizados a áreas inadequadas para o atendimento. Em vez de sete postos de saúde acordados para a realização, havia seis. Em vez de seis ambulâncias, cinco.

Os fiscais anotaram ainda um comportamento que os irritou durante a visita. Os mesmos profissionais que estavam em um posto apareciam em outro para, supostamente, dar a impressão de que havia gente suficiente para o atendimento. O mesmo chegaram a fazer com uma ambulância, usando-a em dois locais.

O evento divulgou uma nota depois de passar pela última vistoria. “Em 28 anos de história, com cerca de 7 milhões de pessoas presentes nas Cidades do Rock, nunca houve nenhum incidente que mereça registro. A Organização do Rock in Rio e as empresas contratadas para prestação de serviços internos atenderam a todas as solicitações das diversas entidades públicas que estão acompanhando o evento. Durante os três primeiros dias de festival nenhuma pessoa ficou sem assistência. Mais de 2 mil pessoas foram atendidas e nenhum caso grave foi registrado.”

O festival recebe hoje seu público mais engajado. O dia do metal, já tradicional na festa, terá o peso dos grupos Sepultura, Ghost BC, Alice in Chains e, no encerramento, Metallica. No domingo, o evento termina com show do Iron Maiden.

SHOWS DE HOJE

Palco Mundo
18h30 – Sepultura & Tambours du Bronx

20h30 – Ghost B.C

2h10 – Alice in Chains

0h05 – Metallica

Palco Sunset
14h40 – República + Dr. Sin + Roy Z

16 h – Almah + Hibria

17h30 – Sebastian Bach

19h30 – Rob Zombie

Eletrônica
22h30 – DJ Ride

23h30 – Gaslamp Killer

0h30 – Brodinski

1h45 – Gesaffelstein

CLIQUE AQUI PARA VER A PROGRAMAÇÃO DOS DEMAIS DIAS DO FESTIVAL.

Mais conteúdo sobre:

Rock in rio