Apocalyptica cancela shows no Brasil

Estadão

11 de janeiro de 2012 | 12h00

Flávio Leonel – Roque Reverso *

O Apocalyptica anunciou o cancelamento do show que faria no Brasil no dia 12 deste mês. De acordo com informação divulgada no site da banda finlandesa, problemas com o produtor responsável pelos shows no País e no Chile foram os motivos do cancelamento. Com isso, termina, pelo menos por enquanto, a tentativa de retorno do grupo para cá.

Desde o início do anúncio da apresentação no Brasil, toda a história foi muito mal contada. A primeira informação do site oficial era de que o show no Brasil seria feito em 12 de janeiro no Via Funchal, em São Paulo. Depois, de uma hora para outra, o local da apresentação mudou para o Guarujá (???), com entrada gratuita (???), algo raro atualmente para shows internacionais.

Agora, a versão é de que, há semanas, o Apocalyptica não consegue fazer contato com o tal produtor dos shows no Brasil e o no Chile. Como a banda não tinha qualquer garantia e há um custo alto a ser gasto nas turnês, foi obrigada a cancelar a ida aos dos países.

No comunicado, o grupo destacou que sequer pode dizer se bilhetes eventualmente vendidos poderão ser reembolsados, pelo simples fato de não conseguir o contato com o produtor contratado.  Os músicos asseguraram que estão muito tristes com a notícia e que farão de tudo para, o mais rapidamente possível, agendar novos shows no Brasil e no Chile com alguma outra empresa organizadora.

Quanto ao restante da turnê na América do Sul programada para este início de 2012, tudo continua confirmado no site do Apocalyptica. Depois de tocar no México, o grupo tem  shows agendados para Montevidéu, no dia 13, no Uruguai; Buenos Aires (14), na Argentina; Assunção (17), no Paraguai; Caracas (19), na Venezuela; Quito (20), no Equador; Medellin (21) e Bogotá (22), na Colômbia.

*Flávio Leonel é jornalista da Agência Estado e editor do ótimo blog Roque Reverso.

Tudo o que sabemos sobre:

Apocalyptica

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.