Alcatrazz traz o começo de Malmsteen em versões com bônus

Estadão

03 de agosto de 2012 | 06h44

Marcelo Moreira

Lars Lannerback era um garoto sueco marrento e de personalidade forte, que chegou aos Estados Unidos disposto a mostrar que era melhor do que qualquer guitarrista já nascido neste planeta. suas bandinhas na Escandinávia eram in suficientes para conter o seu ego e a sua imensa habilidade (e velocidade).

Todo mundo insistia em chamá-lo pelo nome que constava no passaporte, o que o irritava profundamente, já que desde os 7 anos de idade exigia ser chamado pelo nome do meio e pelo sobrenome de sua mãe: Yngwie Malmsteen. Aos 18 anos, em 1981, largou tudo e conseguiu contatos em Los Angeles, que o colocaram na banda de hard rock Steeler, de pouca duração.

Para suportar tamanha marra e tamanho ego, somente uma banda à altura, com músicos tarimbados e igualmente marrentos. Assim surgiu em 1983 o Alcatrazz, com o geniozinho sueco da guitarra de 20 anos e a potente voz de Graham Bonnet, inglês que fez fama no Rainbow, de Ritchie Blackmore.

Os quatro primeiros discos gravados pelo Alcatrazz foram resgatados do fundo do baú e ganham relançamento em CD. E o que é melhor, chegam ao Brasil pela ST2. Produzidos ainda nos anos 1980, os discos “No Parole From Rock’n’Roll” (1983), “Live Sentence” (1984), “Disturbing the Peace” (1985) – CD duplo – e “Dangerous Games” (1986) (ST2 Music, R$ 19,90 em média cada e R$ 29,90 o duplo) ganham edições recheadas de bônus. 

 Malmsteen era marrento demais para aguentar tocar sem ser a estrela principal e só durou um álbum. São deles, entretanto, a maioria das guitarras do álbum ao vivo “Live Sentence”. Baseado no álbum de estreia do grupo, o único trabalho ao vivo oficial do conjunto é a despedida de Malmsteen do Alcatrazz. Em 1984, ele montaria a sua Rising Force, banda que se tornaria o seu suporte na carreira solo.

A nova versão do álbum traz sete canções inéditas ao vivo, todas da mesma apresentação. Entre elas estão “Big Foot”, “Suffer Me” e “Desert Song”. O disco contém ainda duas músicas, “All Night Long” e “Lost in Hollywood”, da antiga banda de Bonnet, o Rainbow.

“Disturbing The Peace”, já com outro gigante, Steve Vai na guitarra, é o que tem mais faixas extras. Além do disco original, produzido por Eddie Kramer (Jimi Hendrix, Kiss e Led Zeppelin), o CD extra aparece com 17 canções, todas  retiradas de um show realizado em Tóquio, em 1984, como “Jet To Jet”, “Skyfire” e “Sons And Lovers”.

“Dangerous Games”, de 1986, fecha o pacote. É o mais fraco dos álbuns, já sem Steve Vai, substituído pelo desconhecido Danny Johnson. As faixas extras também são todas ao vivo.

Alcatrazz com Steve Vai - o primeiro à esquerda