Adson Sodré, o guitarrista de Neal Morse que arrebentou na ExpoMusic

Estadão

08 de outubro de 2013 | 06h47

Marcelo Moreira

Um guitarrista virtuoso, de modos excêntricos, está demonstrando pedais de efeitos de uma marca durante a ExpoMusic 2013, em São Paulo, tocando freneticamente acompanhado por uma base pré-gravada. O público, boquiaberto, tenta acompanhar, sem sucesso, as evoluções e as milhares de notas por segundo tocadas. O nome do artista é Adson Sodré, um dos patrocinados da Fire, empresa que produz pedais no Brasil.

Baiano de Jequié, deixou toda a excentricidade no palco para mostrar uma humildade desconcertante para um instrumentista escolhido a dedo por um dos maiores nomes do rock progressivo atual, o norte-americano Neal Morse. Essa é uma das surpresas que uma feira magnífica como a ExpoMusic proporciona.

Desconhecido do grande público roqueiro brasileiro, Sodré foi escolhido por Morse por meio de um vídeo, em um concurso que selecionou instrumentistas para a gigantesca turnê pelos Estados Unidos. Isso foi em 2012. A banda “fraquinha” tinha como baterista ninguém menos do que Mike Portnoy (ex-Dream Theater e atual The Winery Dogs, entre muitos outros). “Foi maravilhoso ser selecionado por um músico tão capaz e tão importante como Neal Morse. Nem preciso dizer o quanto a banda dele era extraordinária. Fazer parte dela representou um salto imenso em minha carreira.”

Adson Sodré arrebenta na ExpoMusic, no estande da Fire, sob o ‘olhar preocupado’ de Edu Ardanuy

O guitarrista baiano desbancou gente importante para ficar com a vaga, como um professor do prestigiado instituto Berkley – uma das melhores escolas de música do mundo, que fica em Boston. Participou das gravações do álbum “Momentum”, de 2012, e do DVD que retratou a turnê do disco, que também contou com feras como o baixista Randy George e o guitarrista Paul Gilbert (Mr. Big).

“Em 2013, voltei para uma turnê com o Neal Morse na Europa juntamente com a banda The Flower kings o que me permitiu além de tocar novamente com o Neal Morse, Randy George e Mike Portnoy, dividir o palco com o guitarrista Roine Stolt – também membro da banda Transatlantic, onde encerrávamos tocando um medley da mesma. Foi incrível!”, afirma o guitarrista.

Egresso da cena gospel, da qual ainda pertence, Sodré ultrapassou os limites da área religiosa graças a uma habilidade estonteante. Capaz de tocar qualquer coisa, admite que hoje se sente bastante confortável no rock instrumental e no rock progressivo, embora seu álbum mais recente, “Assim que Sou, Assim que Soou”, contenha flertes importantes com o jazz, com a música instrumental brasileira e com canções tradicionais religiosas.

E a ligação com a música gospel ajudou bastante a conseguir a vaga na banda de Neal Morse. Guitarrista, tecladista e vocalista, Morse fundou no final dos anos 80, com o irmão Alan, também guitarrista, a banda Spock’s Beard, talvez o grande nome do neo prog rock norte-americano.

Mesmo com todo o sucesso e o prestígio obtido pela banda, Neal decidiu sair em 2000, após converter-se ao cristianismo, abraçando uma das vertentes do catolicismo da ala carismática. Desde então sua produção musical tem sido voltada para o ramo gospel, embora com ampla apreciação pelo público secular. O ponto alto de sua nova trajetória é o álbum “Testimony”, de 2003, que ainda rendeu álbum ao vivo e uma segunda parte. A decisão de abraçar a vida religiosa com mais intensidade quase pôs fim ao projeto Transatlantic, que mantém com Portnoy, Pete Trewavas (baixista do Marillion) e Roine Stolt (guitarrista do Flower Kings).

Seu álbum “Assim que Sou, Assim que Soou” é de 2010 e pode ser encomendado por meio do site do artista – www.adsonsodre.com.br. Ele ainda lançou um DVD, “Promessa de 10 Anos”, em 2012, e está para colocar no mercado “Louvor e Evangelho Vol. 1”, seu quarto álbum, mais voltado para a música religiosa.

Quem gosta de rock progressivo e rock instrumental não vai se decepcionar com “Assim que Sou, Assim que Soou”. Com influências nítidas de Joe Satriani, Steve Vai e Steve Morse (Dixie Dregs, atual Deep Purple), Sodré transita com desenvoltura invejável por alguns estilos musicais, sempre tendo o rock como fio condutor. Tornou-se um concorrente de peso para gigantes como Kiko Loureiro (Angra), Edu Ardanuy (Dr. Sin) e Juninho Afram (Oficina G3).

E aconteceu

Mike Portnoy faz um afago em Sodré durante solo inspirado na turnê “Momentum Live 2012”, da Neal Morse Band (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Tudo o que sabemos sobre:

Adson Sodréneal Morse

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: