A sofisticação de Bryan Ferry em 'Olympia'

Estadão

07 de novembro de 2010 | 15h00

Marcelo Moreira

Música pop sofisticada e com classe, resvalando no rock. Essa era um das definições da imprensa norte-americana nos anos 70 para para o inclassificável som do Roxy Music, quinteto inglês liderado pelo cantor Bryan Ferry e pelo multi-instrumentista Brian Eno.

O rock do grupo era marcado por melodias pop de fácil aceitação, mas de muito bom gosto e que devz em quando invadia a seara progressiva. Essa sofisticação foi herdada por Ferry em sua carreira solo após o fim do Roxy Music, em 1983. A magia nostálgica do cantor e sua banda mostram um som incrivelmente datado, fora de moda e de estilo, mas deliciosamente competente e envolvente.

Seu último registro fonográfico, “Dylanesque”, de 2007, como o próprio nome diz, foi um inesperado sucesso contendo algumas das mais inspiradas músicas de Bob Dylan. Ele retorna agora ao mercado com “Olympia” trazendo a sofisticação de sempre, mas sem o mesmo brilho. Entretanto, não é um álbum ruim, longe disso.

Capa de 'Olympia', com a modelo Kate Moss

“You Can Dance” é o primeiro single e primeiro videoclipe.  Como o grande crooner que foi quando formava no Roxy Music, Ferry dá um show de interpretação, com a voz grave conduzindo a canção de forma primorosa.  

O álbum conta com participações de Nile Rodgers, David Gilmour (Pink Floyd), Groove Armada, Scissor Sisters, Marcus Miller, Flea (Red Hot Chilli Peppers), Mani (ex-Stone Roses) e Jonny Greenwood (Radiohead), além das participações dos ex-colegas de Roxy Music Brian Eno (teclados), Andy MacKay (saxofone e sopros) e Phil Manzanera (guitarra). 

 Olympia apresenta oito novas canções – onde se encontram colaborações com os Scissor Sisters (“Heartache By Numbers”) e Groove Armada (“Shameless”), uma versão muito boa para “Song To The Siren”, de Tim Buckley, e uma versão de “No Face, No Name, No Number”, do Traffic, ex-banda do amigo Steve Winwood. 

Capa alternativa

Destaque para a bonita capa com a modelo inglesa Kate Moss reinventando o quadro “Olympia”, pintada por Édouard Manet em 1863, recuperando a tendência de colocar modelos lindas e famosas nas capas dos antigos LPs dos Roxy Music – uma delas, Jerry Hall, então namorada de Ferry, adornou a capa de “Siren”, de 1977; no ano seguinte largou-o para se casar com Mick Jagger (Rolling Stones).

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: