A qualidade de sempre de Joe Cocker

Estadão

29 de setembro de 2010 | 08h17

Marcelo Moreira

Joe Cocker é um dos sobreviventes do rock e ganha cada vez mais notoriedade por isso, o que é lamentável, pois seu trabalho é de alto nível na maioria das vezes. “Hard Knocks”, seu mais novo álbum, traz todos os ingredientes que ele já havia mostrado em “Little Wing”, versão de música de Jimi Hendrix que está no novo trabalho de Carlos Santana, “Guitar Heaven”.

O vozeirão de blueseiro está em forma, assim como o talento. Alcança notas altas co  facilidade e ao mesmo tempo consegue interpretar com uma delicadeza que poucos 9ou quase) ninguém consegue. A voz exala sofrimento, mesmo cantando temas supostamente com astral alto.

A versão 2010 do cantor inglês que apareceu para o mundo no festival de Woodstock, em 1969, tem como músicos Ray Parker Jr, Tim Pierce e Joel Shearer nas guitaras, Josh Freese, Matt Chamberlain e Dorian Crozier nas baterias, o bom Chris Chaney no baixo e Jamie Muhoberac como tecladista.

Não há como não curtir músicas como “Hard Knocks”, “Get On”, “So It Goes” e “Runaway Train”, típicas de uma trilha sonora para uma noite agradável na companhia de bons amigos.

Tudo o que sabemos sobre:

Joe CockerWoodstock

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.