A grande obra do Pink Floyd faz 40 anos – parte 5

Estadão

30 de março de 2013 | 06h41

Irapuan Peixoto – site HQRock

Dinheiro… A disputa com a gravadora

Pé na bunda da Capítol records.

Pé na bunda da Capítol records.

Em meio à gravação do disco, o Pink Floyd entrou em uma roda de negociações com a gravadora EMI para renovar seu contrato de distribuição com os Estados Unidos. A banda estava insatisfeita com o tratamento que a subsidiária norteamericana da empresa, a poderosa Capitol Records. No fim das contas, o grupo continuou com a EMI na Inglaterra, mas dispensou a Capitol e assinou um contrato de distribuição nos EUA com a maior concorrente desta, a Columbia Records.

A partir do álbum seguinte, as capas do Pink Floyd passariam a trazer EMI ou Columbia a partir do lado do Atlântico em que se encontram.

Foi um grande azar da Capitol, pois o sucesso absurdo de Darkside of the Moon deixaria rastro para os discos seguintes, que consolidaram a fase mais famosa do Pink Floyd. E deixaram a Capitol de fora da festa…

O Grande Acontecimento no Céu… A recepção do disco

Luzes do prisma viram batimentos cardíacos no encarte do disco.

Luzes do prisma viram batimentos cardíacos no encarte do disco.

Sem saber que o Pink Floyd tinha assinado um contrato com outra gravadora para os álbuns seguintes, a Capitol investiu pesado no marketing de lançamento. Tanto que Darkside of the Moon saiu primeiro nos EUA, em 10 de março de 1973. Na Grã-Bretanha e no resto do mundo, o lançamento foi em 24 de março.

A crítica se dividiu um pouco sobre o disco, geralmente elogiando o conteúdo, mas ainda alguns preferindo os discos antigos. De qualquer modo, a reação do público foi explosiva: Darkside foi o primeiro álbum do Pink Floyd a chegar ao primeiro lugar da parada da Billboard nos EUA. E não somente isso. Além de ter ficado por muitas semanas na posição, o disco bateu o recorde de maior permanência que um álbum ficou dentro dos 200 mais vendidos: nada menos do que 591 semanas! Mais de 11 anos completos!

Darkside ainda é o oitavo disco mais vendido da história da Inglaterra.

Darkside ainda é o oitavo disco mais vendido da história da Inglaterra.

A EMI teve que criar um sistema paralelo de produção do disco para dar conta da demanda. Em determinado momento dos anos 1970, um em cada cinco lares britânicos tinham uma cópia do LP.

Curiosamente, Darkside nem é o disco de maior sucesso comercial do Pink Floyd, embora tenha vendido cerca de 34 milhões de cópias até hoje. O campeão da banda é o álbum The Wall, de 1979, com 40 milhões.

Rompendo com as estratégias mais óbvias de promoção, o Pink Floyd tirou férias logo após o lançamento de Darkside e não fez turnê. Na lógica do grupo, o álbum já tinha sido “promovido” no ano anterior (1972), com dezenas de apresentações ao vivo.

Fotografia que ilustra o encarte de Darkside.

Fotografia que ilustra o encarte de Darkside: Wright, Waters, Mason e Gilmour.

Só voltaram aos palcos em 1974, em pequenas turnês curtas. Na primavera, tocaram na França e, em outubro e novembro, fizeram uma turnê pela Grã-Bretanha, na qual foram criticados por tocar de modo muito parecido com o disco e usando efeitos sonoros em demasia, em vez dos velhos shows altamente improvisados do passado.

Darkside of the Moon é um marco fortíssimo na carreira do Pink Floyd. Sem dúvidas, o lançamento do disco (e seu sucesso estrondoso) encerrou a fase underground da banda. E deu início à fase mais popular do grupo, sua fase clássica, que vai de Darkside em 1973 até The Wall em 1979.

A sonoridade contemplativa e bonita de Darkside ganhou uma sequência respeitável no álbum seguinte: Wish You Were Here, de 1975, que inclusive, é apontado como álbum favorito de dois membros, David Gilmour e Richard Wright.

David Gilmour grava sua guitarra em Us and them: Darkside traz alguns de seus melhores momentos.

David Gilmour grava sua guitarra em Us and them: Darkside traz alguns de seus melhores momentos.

Mas sem sombra de dúvidas, Darkside representa o apogeu criativo da banda, pelo menos em termos musicais. Em nenhum disco a banda soa tão bem, tão coesa quanto neste. A guitarra de Gilmour e os teclados de Wright se cruzam em arranjos impecáveis, complementando um ao outro em melodias e timbres. Às vezes até se misturam. Waters não é um grande baixista, mas seu som está muito bom no álbum, com algumas passagens marcantes, especialmente em Breathe e Us and them. Mason é o elo fraco, mas não compromete e, às vezes, até surpreende, como na introdução de Time e nas mudanças de ritmo alucinantes de Money.

E Gilmour produz alguns de seus melhores solos e fraseados de guitarra em toda a carreira da banda. O solo de Time é talvez o melhor de todos. Também há fraseados bem bonitos, como os de Brain demage e Eclipse. Mas há, ainda, a construção de texturas muito interessantes e eficientes, particularmente em Breathe (construída inteiramente em um diálogo de duas guitarras) e Us and them, num papel secundário, mas impactante.

Eclipse… O fim do Pink Floyd

A banda na época de The Wall: relações rompidas.

A banda na época de The Wall: relações rompidas.

O problema com o apogeu é que depois dele só resta a queda. E foi isso o que aconteceu.

Enquanto banda, o Pink Floyd lançou sua fase mais importante a partir de Darkside of the Moon, seguindo com Wish You Were Here (1975), Animals (1977) e The Wall (1979), contudo, as relações pessoais internas do grupo entraram em colapso.

Nem as gravações de Darkside foram totalmente tranquilas, como já se viu. Mais do mesmo veio em Wish You Were Here, apesar de terem ficado as boas lembranças. Contudo, as sessões de Animals e The Wall foram calamitosas. Richard Wright foi deixado cada vez mais de lado e chegou a ser expulso do grupo nas gravações de The Wall. Esse disco também encerrou as relações entre Waters e Gilmour, que até trabalharam juntos no disco seguinte, The Final Cut, de 1983, mas praticamente sem falarem um com o outro.

O Pink Floyd reunido nos anos 1980, sem Roger Waters: sucesso.

O Pink Floyd reunido nos anos 1980, sem Roger Waters: sucesso.

Em 1985, Roger Waters entrou com um pedido na Justiça britânica para encerrar a banda, entretanto, David Gilmour e Nick Mason responderam com outro processo para continuar a usar o nome “Pink Floyd”. Waters perdeu a causa e Gilmour e Mason chamaram Richard Wright de volta e o Pink Floyd lançou um novo disco, A Momentary Lapse of Reason, em 1987, que fez um grande sucesso.

A banda fez uma grande turnê, lançou um disco ao vivo (o primeiro desde 1969!) e retornou ao estúdio para gravar o álbum The Division Bell, de 1994, que fez um sucesso maior ainda, seguindo outra turnê gigantesca.

Pulse traz a versão ao vivo de Darkside of the Moon nos anos 1990.

Pulse traz a versão ao vivo de Darkside of the Moon nos anos 1990.

Nesta turnê, o trio executava o álbum Darkside of the Moon na íntegra nos shows. O álbum ao vivo da turnê, Pulse, lançado em 1995, causou uma grande sensação e sucesso mundial, trazendo, inclusive, a versão ao vivo de Darkside completa.

Apesar do fim da banda nunca ter sido oficialmente decretado, suas atividades se encerraram em 1996.

O quarteto clássico reunido pela última vez, em 2005, no Live 8.

O quarteto clássico reunido pela última vez, em 2005, no Live 8.

Desde então, houve apenas reuniões esporádicas entre Gilmour, Wright e Mason até que, em 2005, o trio se reuniu pela primeira (e única) vez com Roger Waters, tocando quatro faixas – duas delas do Darkside of the Moon – no concerto beneficente do Live 8, contra a reunião do G8 e a favor do cancelamento da dívida dos países pobres da África.

Em 2006, o ex-membro e fundador Syd Barrett faleceu vítima de complicações da diabetes. O trio remanescente do Pink Floyd (Gilmour, Wright e Mason) se reuniu uma última vez no ano seguinte, justamente em um concerto em memória ao ex-líder da banda, que vivia recluso em Cambridge desde 1973.

Em 2008, o tecladista Richard Wright também morreu,vítima de um câncer.

Roger Waters: turnês de sucesso.

Roger Waters: turnês de sucesso.

A última reunião do Pink Floyd até agora foi em maio de 2011, quando Gilmour e Mason se uniram a Roger Waters na abertura de sua turnê solo na qual apresentava o álbum The Wall na íntegra, em Londres.

Roger Waters anda bastante ativo nos últimos anos, lançando material novo, produzindo uma ópera e saindo em grandes turnês mundiais. O compositor executou o álbum Darkside of the Moon na íntegra em uma turnê que passou pelo Brasil em 2007, enquanto a turnê do The Wall também esteve no país em 2012.

David Gilmour anda mais afastado da mídia, mas lançou um álbum solo em 2007, que foi bem recebido por público e crítica e fez uma turnê mundial para promovê-lo.

Darkside of the Moon faixa a faixa:

Conheça agora alguns detalhes das canções que fizeram o mais famoso álbum do Pink Floyd e, para muitos, a sua melhor obra.

Tudo o que sabemos sobre:

Pink Floyd

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: