A feclicidade de Ben Harper no Brasil

Estadão

10 de dezembro de 2011 | 06h54

Felipe Branco Cruz

Dono de melodias fáceis, o cantor e compositor californiano Ben Harper se apresenta hoje em São Paulo, na Via Funchal. É difícil encontrar alguém, mesmo nos rincões mais afastados do Brasil, que não tenha escutado a música Boa Sorte/Good Luck, que ele gravou em parceria com a cantora Vanessa da Mata. Até hoje, quem ouvir os versos “Tudo que quer me dar / é demais/é pesado / não há paz / Tudo que quer de mim / irreais / expectativas/desleais” se lembrará da canção. A cantora, aliás, confirmou que fará participação especial no show que Harper apresenta hoje em São Paulo.

No Brasil desde o início do mês, Harper já se apresentou em Porto Alegre, Florianópolis e Belo Horizonte. Depois do show na capital paulista, ele seguirá para a última apresentação no Rio de Janeiro, no dia 10. “Ouvi falar da Vanessa assim que cheguei no Brasil, pela primeira vez”, disse o músico, em conversa com a imprensa, em São Paulo. “Recebi uma ligação do produtor Mario Caldato Jr. em Los Angeles, perguntando se eu não gostaria de gravar com ela. Respondi: ‘Traga tudo que tiver’. A letra, o ritmo e a música são cativantes.” Do Brasil, o músico disse saber pouco. “Conheço Vinicius de Moraes, Marisa Monte. Amo churrasco também”, brincou.

O cantor credita boa parte de seu sucesso no exterior também à parceria com Vanessa da Mata. “Quando viajava por Paris, escutei nossa música tocando nas rádios”, disse. “Se não fosse por ela, minha carreira internacional não seria tão grande. Adoraria fazer mais um projeto com Vanessa.”

Ben Harper é um músico de parcerias. Em seu último disco, Give Till It’s Gone, ele conta com a participação do baterista dos Beatles Ringo Starr. “Trabalhar com Ringo foi uma honra”, afirmou. Ou ainda com Dhani Harrison, filho do guitarrista dos Beatles, George Harrison (1943-2001), com quem montou a banda Fistful of Mercy (leia mais abaixo). Na estrada há mais de 17 anos, ganhador de dois Grammy e mais de 10 milhões de discos vendidos, Harper acumulou uma série de sucessos. Dentre eles, Diamonds on The Inside e Waiting For You. Todas deverão estar no set list do show de hoje, além de Loving You is My Masterpiece, Another Lonely Day e Don’t Give Up On Me Now.

O público, no entanto, poderá esperar muito mais. Os shows de Harper costumam durar mais de três horas. Em São Paulo, não deverá ser diferente. “Espero que, depois de tocar durante tanto tempo, quando as luzes do local forem acesas, ainda tenha alguém na plateia me ouvindo”, brincou.

Simpático, falou que o Brasil é o único país do mundo onde se é recebido no aeroporto ao som de berimbau. “Achei fantástico quando cheguei a Salvador e vi as pessoas tocando berimbau.” Mas seu sonho é visitar Fernando de Noronha para surfar. “Me sinto confortável no Brasil. Quem sabe eu não compre uma casa por aqui.”

Engajado em causas sociais, sempre que pode, Harper procura participar de projetos em ONGs. Durante a entrevista, o músico também comentou sobre as manifestações que ocorreram nos Estados Unidos com jovens acampando em frente a Wall Street, onde fica a Bolsa de Valores de Nova York. “Acho ótimo ver as pessoas se movimentando. O capitalismo precisa evoluir. Estamos chegando a um ponto que não terá mais volta.” Questionado sobre questões ambientais brasileiras, como a construção de uma usina em Belo Monte, no rio Xingu, no Pará, ele respondeu: “Não conheço. Mas quero me informar sobre esse tema.”

Mas o que o público escutará hoje serão músicas com mensagens positivas e ritmos cativantes. E isso Ben Harper sabe fazer muito bem. “Gosto de cantar músicas com mensagens positivas. Isso fica bem claro já nos títulos das canções”, disse Harper, citando a música With My Own Two Hands.

O disco mais rock and roll de Ben Harper
Além de seus hits, como ‘Diamonds on The Inside’ e ‘Boa Sorte / Good Luck’, que Ben Harper deve tocar no show de hoje à noite, o músico californiano deve apresentar principalmente canções de seu novo álbum, o décimo da carreira, ‘Give Till It’s Gone’, lançado no primeiro semestre deste ano. As novas composições estão focadas mais em rock and roll do que no reggae, que por anos pontuou suas canções.

O público, portanto, poderá esperar por mais guitarras distorcidas, pesadas baterias e a velocidade do rock ao invés da contemplação do reggae. Com composições bastante intimistas, Ben Harper descartou, porém, que o disco seja o mais autobiográfico de sua carreira. “Todos meus álbuns são autobiográficos”, disse. “Mas quando lançamos algo novo, as pessoas sempre tendem a achar que ele é o mais autobiográfico de todos.”

É inegável, no entanto, o caráter pessoal de letras como ‘Don’t Give Up On me Now’ e ‘I Will Not Be Broken’, que versam sobre desilusões amorosas. No ano passado, Ben Harper se separou de forma abrupta da mulher, a atriz Laura Dern, com quem se casou em 2005. Para a separação, o músico alegou incompatibilidade de gênios e está pedindo a guarda dos filhos do casal, o garoto Ellery Walker (nascido em 2001) e a menina Jaya (de 2004).

Desde 2006 Ben Harper também não lançava nenhum álbum solo. Nos últimos anos, ele gravou discos com as bandas Innocent Criminals e Relentless 7. Nesses trabalhos, suas composições eram, principalmente, políticas. Justamente o contrário deste novo disco. “E é por isso que vocês acham que esse disco é o mais autobiográfico”, justificou.

E há, claro, a participação do beatle Ringo Starr na bateria.

O músico inglês compôs e gravou com Ben Harper a canção instrumental ‘Get There From Here’.

A bateria sincopada de Starr é evidente. Trata-se de uma composição para se ouvir despretensiosamente. No final, assim como em alguns discos dos Beatles, é possível ouvir os músicos conversando no estúdio. Ringo, com seu inconfundível sotaque inglês, dá boas gargalhadas ao lado de Harper.

Com Dhani Harrison, Harper cria nova banda
Formada no início de 2010, a Fistful of Mercy lançou no mesmo ano o disco ‘As I Call You Down’. As músicas do grupo misturam referências de reggae e rock trazidas pelos seus três integrantes: Ben Harper, Dhani Harrison (filho de George Harrison) e o músico Joseph Arthur. O grupo surgiu após um convite de Joseph a Harper. Ele, então, convidou Harrison. Os dois se conheceram numa pista de skate em Santa Monica, na Califórnia.

Durante a entrevista coletiva, realizada na semana passada em São Paulo, Harper destacou que está muito animado com o projeto e que pretende trazê-lo ao Brasil. O single da banda, batizado também de ‘Fistful of Mercy’ pode ser baixado gratuitamente no site deles: fistfulofmercy.com

Tudo o que sabemos sobre:

Ben Harper

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.