30 anos da besta, uma obra-prima do heavy metal

Estadão

27 de março de 2012 | 12h00

 Marcelo Carleto – blog Leitura Musical

Há exatos 30 anos era lançado um dos álbuns mais marcantes da história do heavy metal: “The Number Of The Best” do Iron Maiden. Depois de revolucionar o rock and roll no inicio dos anos 80 com “Iron Maiden” e “Killers” e seu New Wave of British Heavy Metal (N.W.O.B.H.M.) a banda se tornaria uma das maiores de todos os tempos.

O álbum marca a estréia do vocalista Bruce Dickinson no Iron Maiden. Diferente de seu antecessor, Paul Di’Anno, Bruce tinha uma voz muito marcante, altos agudos e uma presença de palco e disposição incríveis. O disco também foi o último do baterista Clive Burr com a banda, em seguida deu lugar a Nicko McBrain.

Até hoje já foram vendidas cerca de 16 milhões de cópias de “The Number…” no mundo todo. O disco causou muita controvérsia e revolta na época de seu lançamento por conta da figura do demônio em sua capa e obviamente que não poderia faltar Eddie, símbolo do Iron Maiden.

Toda essa “publicidade” só serviu para alavancar o sucesso do disco com hits eternizados pelos fãs como a faixa título do álbum e também Hallowed By The Name e Run To The Hills, esta última que é frequentemente usada pela banda para encerrar os seus shows.

“The Number Of The Beast” pode até não ser o melhor álbum da Donzela, mas é sim o mais emblemático até hoje e faz o público cantar o refrão “666 The Number Of The Beast” a plenos pulmões em qualquer lugar do mundo. Em 22 de março de 1982 o Iron Maiden mudaria para sempre a história do heavy metal mesmo que parasse por alí.

O álbum e suas músicas marcaram uma geração e de gerações em gerações, dos avós aos netos, “The Number Of The Beast” é praticamente uma unânimidade entre os fãs de metal. O Iron Maiden quebrava barreiras e rompia fronteiras na The Beast on the Road Tour” que parece não perder seu folêgo até hoje.

Tudo o que sabemos sobre:

Iron Maiden

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: