Velho com cara de novo

Estadão

16 Julho 2010 | 12h00

encontro_explosivo_500

Tom Cruise recusou o papel principal em Salt (que estreia dia 30) porque o achou parecido com o da franquia Missão Impossível: um espião renegado em fuga. Preferiu estrelar Encontro Explosivo, sobre… um espião renegado em fuga.

A justificativa é que o personagem trafega, também, pelo humor – um reposicionamento artístico que Cruise vem construindo desde sua participação em Trovão Tropical (2008). Ele faz Roy, um agente secreto que alterna lampejos de frieza profissional (como todo astro de ação) e de exagero emocional (como uma boa figura cômica).

Sua missão é proteger uma fonte de energia renovável, mas a troca de sopapos com os vilões é secundária. O que importa é a troca de farpas (e inevitáveis beijos) com June (Cameron Diaz), uma mecânica que dá o azar de pegar um voo com Roy e se descobre no meio de uma conspiração internacional.

Todo herói devia saber, porém, que não adianta atirar para todos os lados. Sem injetar nada de novo na velha dinâmica de ‘gata’ e ‘rato’, ‘Encontro’ não funciona como romance; e, com cenas de ação dirigidas sem brilho por James Mangold (Johnny e June), tampouco é uma grande aventura.