Velha guarda

Estadão

13 de agosto de 2010 | 11h58

mercenarios_500

Nos EUA, Os Mercenários ganhou o título The Expendables (‘Os Descartáveis’). É este também o nome da gangue de veteranos que Sylvester Stallone comanda em cena, incumbida de derrubar o ditador de uma fictícia nação latina.

Ao se denominar (e tatuar na pele) ‘descartável’, o ator/diretor/roteirista alinha o filme com o tema de suas produções mais recentes: a velhice. Stallone é um astro ultrapassado desde os anos 80 e, sabiamente, assumiu essa condição nesta fase da carreira. E não está sozinho. No novo filme, recruta outros atores que, como ele, também representam o arquétipo do herói de ação brucutu que hoje já não existe.

Entre eles, Jason Statham, Jet Li, Dolph Lundgren, Arnold Schwarzenegger e Bruce Willis (os dois últimos, apenas em uma bem-humorada ponta). Para os saudosistas, é um dream team. Pena que Stallone pareça ter um conhecimento tão limitado do gênero que o consagrou. O que poderia ser uma homenagem virou apenas mais uma fita genérica. As cenas de ação (várias delas filmadas em Mangaratiba, no RJ) não são particularmente empolgantes – ainda que o fôlego dos ‘tiozões’ seja admirável.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.