Não se traduz

Estadão

22 de outubro de 2010 | 18h21

homens_de_furia_500.jpg

Os títulos de filmes traduzidos para o português podem surpreender. Disengagement (em português, ‘Desimpedimento’), por exemplo, virou Aproximação. Já The Switch (‘A Troca’) foi transformado em Coincidências do Amor. Nesta semana, mais um exemplo de tradução criativa: estreia hoje (22) Homens em Fúria – originalmente Stone, que pode ser traduzido como ‘rocha’.

Mas, no filme, a palavra é também o apelido de um prisioneiro (Edward Norton) condenado pelo assassinato dos próprios avós. Sua única chance de conseguir a liberdade condicional é provar ao oficial Jack Mabry (Robert De Niro) que está apto a viver em sociedade. Para isso, Stone conta com a ajuda – e com a capacidade de sedução – da mulher (Milla Jovovich). Cabe a ela persuadir o policial a soltar seu marido. Norton e De Niro impressionam pelas boas atuações, sob direção de John Curran. Mas os ótimos atores não são suficientes para sustentar a trama fraca, que pode decepcionar grande parte dos espectadores. E até, quem sabe, deixá-los em fúria. (Luiza Pereira)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: