Biblioteca ou cinema?

Estadão

01 de março de 2010 | 15h35

DSC04829_400

Seguimos na nossa avaliação das salas especializadas de São Paulo – uma alternativa à programação comercial das grandes redes de cinema. Como são esses lugares? Quem frequenta? Que tipo de filmes passa? Já demos nossa aprovação à Biblioteca Roberto Santos e agora visitamos outra biblioteca pública com projeção, a Viriato Corrêa (R. Sena Madureira, 298, V. Mariana, 11-5573-4017 ou 11-5574-0389).

O endereço é especializado em literatura fantástica, e o cinema segue a mesma linha. Por isso, entre os destaques da programação está a ‘Fantástica Jornada’, realizada três vezes por ano, que começa com um debate, às 22h, seguido por três filmes-surpresa. A agenda para as próximas semanas inclui exibição de curtas de fantasia e um ciclo só com longas dirigidos por mulheres. Clique aqui para saber mais. 

Em um clima bem íntimo e familiar, a diretora Durvalina Silva e o curador Célio Franceschet sempre estão por perto, no começo ou no fim das sessões, para conversar, falar sobre empréstimos de livros e apresentar o espaço. A tela, assim como a sala, é um pouco pequena, mas o sistema de som é surround 5.1 e há até um projetor reserva, para o caso de imprevistos.

Caminho livre para os deficientes: o prédio não tem nenhum obstáculo a cadeirantes, desde a calçada até a sala (que é levemente inclinada). Os banheiros também foram adaptados. E, além dos assentos reservados a eles, há também para obesos (dois no fundo da sala e dois no meio). (Susan Eiko)