Atenção às imagens

Estadão

11 de março de 2010 | 06h00

(Este é o oitavo post da série de resenhas publicadas no Guia do Estadão sobre filmes que concorreram ao Oscar e estão em cartaz)

fita_branca_400

A Fita Branca | Das weisse Band, Alemanha/Áustria/França/Itália, 2009

Indicações | Melhor Filme Estrangeiro; Melhor Fotografia

A Fita Branca foi um dos filmes mais festejados do ano passado, é verdade. O novo longa de Michael Haneke (de Caché) se passa em um vilarejo alemão às vésperas da 1ª Guerra Mundial. Seus moradores vivem em torno da fazenda de um barão e seguem ao pé da letra os princípios do puritanismo protestante. Uma série de fatos violentos começa, porém, a chacoalhar seu modo de vida.

Não há explicações evidentes para os fatos, mas a chave para entendê-los são as crianças do vilarejo e a maneira como assimilam a educação rígida que recebem. Já foi muito dito que o diretor está falando do contexto que permitiu a ascensão do nazismo. Mas Haneke também quer demonstrar (didaticamente) em que condições podem surgir extremismos ideológicos de qualquer natureza. Preste atenção às belas imagens do fotógrafo Christian Berger, indicado ao Oscar. Seu sistema inovador de iluminação, com poucos refletores, permitiu ao diretor trabalhar mais livremente com os atores – e extrair das crianças performances fortes. (Rafael Barion)

Tendências: