Megatendência: sensorialismo

Estadão

24 de março de 2010 | 21h34

Sensorialismo é um movimento que exige do homem total imersão em experiências para que encontre maneiras de mixar o atual a tecnologias para incrementar a vida real. É o desafio de toda indústria.

fotos16

O movimento está no ar – e trendsetters chapa quente, como WGSN, dizem que só em 2012 corrente popular terá consciência de que esse é caminho para o sucesso. É o desafio de TODAS as indústrias. A regra: usar tecnologia para melhorar o design e a funcionalidade de produtos que vão aguçar os cinco sentidos. Ou melhor, os seis. Confiar na intuição será necessário para quebrar barreiras e conseguir experimentos e resultados.

Como ha ceticos, essa conversa sobre intuicao pode parecer uma viagem nonsense. Entao, pesquei um video em que o filosofo indiano Deepak Chopra fala sobre intuição. Deepak ensina neste vídeo (o número 7 de uma série de 13) que intuição é uma inteligência a parte da mente racional. Segundo Chopra, existem tres tipos de comportamento em no drama-constrole: bom, avesso e indiferente. Para entender o que e como seguir intuicao, o homem deve observar o que esta por tras do que o estimula e provoca a reagir, para conseguir ler uma situacao sem julgamento do bom ou do ruim. Isso se consegur por meio de meditacao. O homem ha seis mil anos vem perdendo essa capacidade. Veja que isso coincide com a era pos-agricultura e os anos de Moises, Confucius, Socrates e todos os sabios que comecaram a criar explicacoes standard de comportamento. Para conseguir acessar a resposta intuitiva, segundo Chopra, o homem deve baixar a guarda e identificar o primeiro insigth de cosnciencia.

Aqui, o discurso de Chopra, na integra, em INGLES:

“Tenho medo do tedio, que ‘tapa a visao'”>, Ron Arad

Ron Arad é “O CARA” cujo trabalho mostra exatamente o que o sensoralismo manda fazer. É um designer
israelense mega-respeitado, professor da Escola Real Inglesa de Artes. A mensagem de Arad é a de que o homem tem que correr riscos para derrubar verdades estabelecidas e conseguir o poder de inovar. Arad fez no MOMA em 09 a instalação No Disciplin.. Arad é um curioso compulsivo por tecnologia. Trabalha muito com poliuretano e produz objetos interativos, alguns plásticos; outros táteis. A maioria dos móveis de Arad – que eu amoooo – podem receber SMS e mensagens via Bluetooh. Há 25 anos ele vem construindo uma estética conectada à comunicação. “Ter ideias nao sao problema. Temos conseguir novos veículos para encaixar essas ideias. Quando penseo em uma cadeira, nada mais é do que um compartimento que tem que acomodar Twiggy a Pavarotti.”

Nesse vídeo, feito durante a montagem de sua expo no MOMA, Ron Arad conta como cria:

I

INTERAÇÂO É A PALAVRA DE ORDEM

Já ouviu falar do belga Win Delvoye? Win é o puro creme do sensoralismo. É um artista de projetos nao convencionais, super avant-garde. Nos anos 90, Wim Delvoye e um amigo, o artista Danny Devos, passaram vários meses na China para montar uma fazenda de arte. No site do artista, windelvoye.be, voce pode passear pela fazenda virtual – uma especie de Farmville – e conhecer tudo o que ele faz INTERAGINDO no cenário, onde há um banco, sala de computacao, fabrica de projetos goticos, esculturas, uma sala de Tatto e um chiqueiro high-tech, onde ele tatua porcos. E a Cloaca, uma sala onde uma máquina de produzir… fazes! A maquina é “alimentada” e nao final do dia produz fezes que sao embaladas a vacuo e vendida! Em 2001, Win chamou vários amigos e epdiu para que tomasse barium e que fizessem sexo em diferentes em clinicas medicas. Tirou raios-X dos amigos e os exibe em grandes quadros que lembram murais de igreja. Somente de perto, o espectador entende sobre o que sao as imagens.

Olha só – e entre no site dele windelvoye para dar uma passeada

X-Ray - The Biss

X-Ray - The Biss

X-Ray: A little blow job

X-Ray: A little blow job

Tattoed Pigs

Win na fazenda na China

Win na fazenda na China

Porco Tatuado

Porco Tatuado

Resultado final do trabalho

Resultado final do trabalho

Win é avant-gard. Já está completamente familiarizado com a trend de usar 3D. No caso, em fotos.

rescale-2.php

O portal de tendencias WGSN deschava a ideia sensorialista de forma super didatica, apontando caminhos imediatos para insdústrias que produzem móveis e fashion.

1. Usar cores intoxicadamente vibrantes. Em tecidos, processos quimicos possibilitam efeitos de brilho, texturas minerais, movimento de luz , sons e ondas, cujo resultado é a sensacao de uma nova energia. Formas devem ser organicas.

Mary-Katrantzou
Looks do desfile de Mary Katrantzu

Na prática?
O artista americano Nick Cave está imerso na trip de açucar os sentindo por meio da indumentária. Faz costumes inspirados em rituais xamânicos. E apresenta em performances.


Macetes? manipulação digital, alterando estados por meio de fragmentações, criação de proporções estranhas e formatos abstratos. O uso de cores ácidas e pigmentos coloridos evocando uma neo-psicodelia. O diretor de video Reay Tintori criou uma séries de video lo-tech no estilo da nova psicodelia. Kanye West usa a técnica do clipe Welcome to The Heartbreak. Ouça:

Reilustrar a estética global será um processo interessante que envolverá obrigatoriamente storytelling (contar histórias) por meio de produtos para que seja possível prender o consumidor através de memórias, cheiros, texturas, imagens e sensações. Ao inserir memórias em formas digitais, o risco é brincar com fragilidade das imagens mapeadas através dos tempos. A tecnologia será usada para preservar a história e criar novas existências e novas estéticas à medida que forem injetados em materiais elementosd reconhecíveis.

A música já entrou na nova psicodelia. “Com espaço cósmico e uma nova visão radical, o The Future Sound of London, sob o pseudônimo Amorphus Androgynous, está à frente dessa onda.

Sensorialismo é uma das megatendências apontadas pelo portal WGSN. Uma senha de acesso para o portal custa US$ 10 mil. Para ter uma? Faça um vídeo ou texto que mostre novos caminhos e poste na página do WGSN no Facebook. Em 10 de abril sai o resultado.