Versões sobre a origem do Dia Nacional do Samba

Estadão

26 de novembro de 2011 | 23h22

A criação da data em homenagem ao samba que muitos dizem não ser nacional, para o escritor e historiador Nelson Crescibeni Filho, o Nelsinho, presidente da Federação das Escolas de Samba e Entidades Carnavalescas do Estado de São Paulo (FESEC), celebrado a dois de dezembro, tem como marco inicial a referida data em 1917, quando foi registrado na Biblioteca Nacional no Rio de Janeiro o samba “Pelo Telefone”, que deu origem à criação oficial do gênero musical brasileiro. A autoria musical é de Hernesto dos Santos, o Donga, e Mauro de Almeida. Mais tarde, outros parceiros como Pixinguinha e João da Baihana se juntaram assinando o samba.

A versão apresentada acima com referência às comemorações do Dia Nacional do Samba contrasta com várias outras informações do gênero, dando conta que as homenagens ao mais destacado ritmo brasileiro, conhecido mundialmente, se deve ao fato de haver o imortal compositor brasileiro Ary Barroso pisado pela primeira vez na Bahia no dia 2 de dezembro de 1940, tempos após fazer sucesso com os sambas “Na Baixa do Sapateiro”, que tem letra exaltando a boa terra, e “Aquarela do Brasil”, uma das músicas brasileiras mais conhecidas.

A partir do ano de 1963 foi instituído o Dia Nacional do Samba, que a partir de 1974 ganhou força em todo território nacional, sendo que as comemorações mais destacadas em homenagem ao 2 de dezembro de cada ano ficam por conta das cidades de Salvador e do Rio de Janeiro.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: