O carnaval popular de São Paulo

Estadão

06 de setembro de 2011 | 23h04

As bandas e blocos carnavalescos da Associação das Bandas Carnavalescas de São Paulo (ABASP), da Associação das Bandas, Blocos e Cordões Carnavalescos do Município de São Paulo (ABBC) e os Afoxés Filhos da Coroa de Dadá e Onmyni- bu também estão contidas legalmente no investimento feito pelo poder público municipal em benefício da realização do carnaval de São Paulo.

Em entrevista ao Blog do Candinho, o presidente da SPTuris, Caio Luiz de Carvalho, e o diretor de eventos da empresa responsável pelo carnaval paulistano, Everaldo Dourado Junior, comentaram o carnaval na cidade está num momento especial, com a pacificação das escolas de samba da Liga, que hoje é uma realidade.

Em reunião no gabinete do prefeito Gilberto Kassab, todos os pontos do carnaval da cidade foram colocados. Para Caio, hoje existe uma grande parceria entre todos os segmentos. Ele afirma que o sonho acalantado desde de 2009 pode se tornar realidade: o de levar num dia de carnaval aos bairros, ou como deseja o legendário sambista Carlos Caetano, o Carlão, fundador da Unidos do Peruche e presidente da Velha Guarda do Samba de São Paulo, num desfile na Avenida São João, como era na década de 1970.

A ideia é que a concentração seja no Vale do Anhangabaú, desfile na Avenida São João e dispersão na Avenida Duque de Caxias. Segundo Caio Carvalho, o importante é que as escolas querem que isto ocorra e isto se juntaria com o carnaval popular da UESP e das bandas carnavalescas.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: