Bixiga comemora 134 anos com festival

Estadão

27 de setembro de 2012 | 18h06

134 anos de tradição cultural
A comemoração dos 134 anos de fundação do Bixiga, no dia 1º de outubro, vai começar às 19h30, na cantina Dona Concheta (Rua Treze de Maio), e terá festival de atrações durante todo o mês.

VI Festival Oficial de Aniversário do Bixiga foi idealizado, direcionado e promovido pelo Grêmio Recreativo Esportivo e Cultural Banda do Candinho&Mulatas (Grec), presidido por mim. E recebeu respaldo de pessoas como o empresário gastronômico Walter Taverna, presidente da Sodepro (Sociedade de Defesa das Tradições do Bixiga) e do produtor de eventos Renato Cury. O Sindicato dos Comerciários de São Paulo, a Associação dos Funcionários da Sabesp e a Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo já sinalizaram participação total para o sucesso das festividades.

A programação
01/10 – 20 h
Confraternização para convidados Cantina da Concheta – Rua 13 de Maio, 560

Lançamento da programação do festival, com coquetel, homenagens a colaboradores do Bixiga e a personalidades da cidade, como o compositor e cantor Adoniran Barbosa que tem rua com seu nome no bairro, Benedicto de Souza, cujo centenário de vida se dará no dia 22 de outubro; Cleusa Carlos Vaz Rossi, porta-estandarte da velha guarda da Vai-Vai; Regina Maura, da velha guarda da Vai-Vai; sósias de artistas, políticos e jogadores de futebol na presença da rainha e princesas do Bixiga 2012 e mulatas da Banda do Candinho.

02/10 – 20h
No Parque da Aclimação – Rua Muniz de Sousa,1.119
Jogo de futebol entre a Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo e Associação Sabesp, em disputa do troféu do Bixiga 134 anos

04/10 – 19h
Caminhada noturna no Bixiga – saída das escadarias do Teatro Municipal de São Paulo, passando pelas principais ruas do Bixiga, com encerramento às 22h nas escadarias do bairro (símbolo do festival)

15/10
Homenagem ao Dia do Professor, com a colocação de cartazes nas escolas, colégios e universidades do Bixiga do poema tributo ao professor em homenagem aos representantes da educação

27/10- das 22 às 4 horas
Baile imperial do Bixiga, com a presença de orquestra e das mulatas da Banda do Candinho, na Casa do Sargento – Rua Scuvero, 195/199 – Cambuci

Outras atrações do Bixiga
– Feira de Antiguidades do Bixiga todos os domingos, das 9 às 18h, na Praça Don Orione com a Rua 13 de Maio
– Ensaios da Vai-Vai aos domingos, a partir das 19h, na Rua São Vicente, 276 – Bixiga/Bela Vista, próxima à Praça 14 Bis e Av. Nove de Julho
– Atividades e eventos diários e semanais das cantinas, restaurantes, bares, casas noturnas e teatros do Bixiga

Histórico
O Bixiga, bairro localizado na região central de São Paulo, segundo o jornalista e pesquisador Egydio Coelho da Silva, surgiuem 1º de outubro de 1878, com o lançamento da pedra fundamental de um hospital, incluso no loteamento de terras doado por Antonio José Leite Braga, inaugurado solenemente com a presença do então presidente da província de São Paulo, João Lins Simimbu, o bispo diocesano d. Lino Deodato Rodrigues de Carvalho e do imperador d. Pedro II, que visitava a cidade de São Paulo.

O nome Bixiga seria da estalagem do Bixiga que foi transferido para a chácara do Bixiga e em seguida para o bairro formado pelos imigrantes italianos. O nome também teria sido oriundo de um matadouro que existia no final da atual Rua Humaitá, onde se vendiam ou davam bexigas de boi e de porcos. Outra hipótese ainda segundo Egydio Coelho, o nome teria sido pejorativamente dado ao bairro, porque os portadores de varíola (bexiga) se refugiavam na chácara do Bixiga, pois o bairro do Bixiga nasceu na parte inicial da chácara do Bixiga.

Perfil
O Bixiga é uma área atípica, pois, apesar de estar no centro da cidade, mantém suas características de bairro, onde os moradores se conhecem e cultivam suas tradições culturais, principalmente os negros e os italianos ali residentes. Destaque também para outros verdadeiros marcos da cultura paulistana, como as cantinas italianas na Rua 13 de Maio e outros pontos do Bixiga. A Igreja Nossa Senhora da Achiropita, a escola de samba Vai-Vai, a Banda do Candinho e mulatas, o Bloco dos Efarrapados, o Museu do Bixiga, diversos restaurantes, cantinas, bares noturnos, cafés, teatros, escolas, colégio, universidades que tornam o Bixiga um dos bairros mais frequentados de São Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:

Banda do CandinhoBixigaVai-Vai

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.