Um Wilco por dia: ‘Born Alone’
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Um Wilco por dia: ‘Born Alone’

Tweedy recombinou palavras pinçadas de poesias para criar uma das melhores músicas da banda

Alexandre Ferraz Bazzan

13 de setembro de 2016 | 15h16

Em uma viagem ao México, Jeff Tweedy levou um violãozinho e foi nele que ele criou os primeiros riffs de Born Alone. Ele gravou a melodia e algumas progressões em seu telefone, mas a canção ficou guardada até o fim da produção do disco The Whole Love.

51XWrnKxoiL

Para escrever a letra, ele usou uma técnica que se repetiu já algumas vezes, algo parecido com as colagens que William Burroughs fazia*. A diferença é que ele não cortou páginas de jornal, mas abriu um livro de poesia e começo a anotar palavras aleatoriamente.

 

Manuscritos de Tweedy na composição de 'Born Alone'

Manuscritos de Tweedy na composição de ‘Born Alone’

Jeff explicou, em uma entrevista ao The Atlantic, que o guitarrista Nels Cline foi fundamental para transformar uma melodia simples e acústica no que iria se transformar a música no final, com todas as suas texturas.

*O escritor beat usou uma técnica já consolidada nas artes plásticas para criar obras. Se artistas usavam colagens para fazer uma imagem, Burroughs cortava e colava partes de jornais para formar um texto novo. A experimentação foi além e fez isso com áudio, na palavra falada. Muitas vezes não faz muito sentido, mas o resultado com o Wilco foi a melhor música do The Whole Love.

Tendências: