‘Falta de originalidade’ livra Taylor Swift de ação por plágio
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘Falta de originalidade’ livra Taylor Swift de ação por plágio

'As letras em questão são muito curtas, sem originalidade e sem criatividade para merecerem proteção na lei de direitos autorais', escreveu o juiz em despacho

Alexandre Ferraz Bazzan

15 de fevereiro de 2018 | 22h50

Foto: Angela Weiss/AFP

Taylor Swift foi processada em 2017 por suposto plágio na música Shake It Off. Os compositores Sean Hall e Nathan Butler alegavam que a cantora pop usava frases da composição Playas Gon’ Play, que eles fizeram para o grupo 3LW. Na última quarta-feira, o juiz Michael W. Fitzgerald, da corte central da Califórnia, descartou o processo.

“‘Jogadores vão jogar’ ou ‘odiadores vão odiar’ não são mais criativos do que ‘corredores vão correr’ ou ‘nadadores vão nadar'”, diz o magistrado em seu despacho. Ele segue: “Na soma, as letras em questão são muito curtas, sem originalidade e sem criatividade para merecerem proteção na lei de direitos autorais”.

Shake It Off, do disco 1989, que rendeu dois Grammys, inclusive o de álbum do ano, é marco da transição definitiva de compositora country para estrela pop na carreira de Taylor.

Ouça abaixo as duas músicas:

Tendências: