Erykah Badu fará show em SP. Lembra quando ela cantou nas ruas de NY e ganhou apenas US$ 3,60?
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Erykah Badu fará show em SP. Lembra quando ela cantou nas ruas de NY e ganhou apenas US$ 3,60?

Ingressos para a apresentação no Espaço das Américas custam entre R$ 156 e R$ 432

Alexandre Ferraz Bazzan

06 de novembro de 2019 | 19h41

Foto: Dylan Martinez/Reuters

Erykah Badu fará no dia 21 de novembro seu quinto show no Brasil, no Espaço das Américas. Os ingressos custam entre R$ 156 e R$ 432(já com as taxas incluídas), mas em 2014 ela cantou de graça na Times Square, um dos lugares mais movimentados de Nova York, e ninguém deu muita bola.

A cantora fez um experimento com improvisações pedindo dinheiro aos transeuntes. Ela não cantou músicas inteiras, como fazem geralmente fazem os artistas de rua, mas a voz era inconfundível. O resultado é um pouco embaraçoso para os moradores de Nova York. Depois de algum tempo de performance, Badu conseguiu juntar apenas US$ 3,60. Ninguém reconheceu a artista.

Relembre apresentações de rua de outros artistas conhecidos:

U2 usou disfarces para uma apresentação no metrô de Nova York. O apresentador Jimmy Fallon também participou da brincadeira.

Cat Power tocou algumas músicas na estação Paraíso do metrô de São Paulo e gerou um burburinho, também em 2014.

Um artista de rua cantava I Gotta a Feeling do Black Eyed Peas quando um carrão estaciona e dele desce o wil.i.am. O rapper assiste um pouco e depois se junta ao cantor.

A mesma coisa aconteceu com Steven Tyler, do Aerosmith. O vocalista assistia uma performance e resolveu soltar a voz em I Don’t Want To Miss a Thing. E que voz impecável.

Neil Young  quase passou despercebido com uma gaitinha e um banjo enquanto tocava Old Laughing Lady, em Glasgow.

O chefe Bruce Springsteen causou um pequeno rebuliço na Dinamarca, em 1988, e entregou alguns dos clássicos de sua carreira.

Por último, talvez a história mais legal de todas. Depois da saída de Mick Jones, Joe Strummer sofreu uma espécie de crise de identidade e resolveu voltar às origens. O Clash fez uma turnê inteira apenas improvisando shows em lugares públicos. A história está no podcast Stay Free.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: