Discos para ouvir na quarentena 4: ‘Ocean Rain’ – Echo & the Bunnymen
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Discos para ouvir na quarentena 4: ‘Ocean Rain’ – Echo & the Bunnymen

Alexandre Ferraz Bazzan

19 de março de 2020 | 23h42

O Ian McCulloch pode ser considerado um Kanye West à frente de seu tempo (também menos famoso e mais pobre). Quando o Echo & The Bunnymen foi lançar seu quarto disco, o Ocean Rain, ele disse para alguém da sua gravadora que esse era o melhor álbum já feito. A gravadora usou a afirmação na divulgação e, quando questionado, Mac disse que era uma brincadeira mas sustentou a frase superlativa.

A arrogância, nesse caso, é de certa forma justificada. Ocean Rain tem uma lado A estupendo, para quem ainda é da época do LP ou cassete. Aí você vira o bolachão (ou a fitinha) e a primeira música que toca é The Killing Moon – e o lado B é ainda mais irretocável.

O Echo era uma bandinha new wave soturna e low-profile. No início nem bateria eles tinham. Nos primeiros shows eles usavam uma bateria eletrônica que produzia as batidas que acompanhavam os instrumentos. Criou-se uma grande lenda de que o nome da banda inclusive seria inspirado nela. A bateria seria a Echo e os humanos os homens coelho. Tanto McCulloch, quanto o guitarrista Will Sergeant, desmentiram a história (mas seria legal se fosse verdade).

A grandiosidade esteve somente na cabeça de Ian McCulloch – no primeiro encontro dele com Sergeant, o guitarrista elogiou a boa voz do cantor e ele respondeu: “Estou esperando pelo dom da visão”, uma referência à música Sound and Vision, de David Bowie. Por todo esse histórico, Ocean Rain foi recebido com muita estranheza na época. O disco tinha acompanhamento de uma orquestra de cordas com 35 pessoas e letras positivas, apesar de existencialistas no sentido romântico da sofrência. Os críticos foram um pouco duros na época, mas atualmente não há quem não diga que ele é o ápice da banda, o que é muita coisa.

É impossível pular qualquer música nas primeiras 572 vezes que você escuta o álbum (eu obviamente já pulo algumas hoje em dia), mas Silver, Crystal Days, The Killing Moon, Seven Seas e My Kingdom fazem Ocean Rain ser esse disco tão especial. Talvez realmente o melhor já feito.

Aqui um pouquinho da humildade do Ian “com a melhor voz da história”.

Hello, Ian McCulloch here.Unaccustomed as I am to the workings, or not, of facebook, I'll try to do my upmost to…

Publicado por Echo and the Bunnymen em Terça-feira, 21 de agosto de 2012

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.