5 plágios que melhoraram as canções originais
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

5 plágios que melhoraram as canções originais

Alexandre Ferraz Bazzan

26 Janeiro 2015 | 14h46

Não que ele precise, mas Tom Petty vai ganhar um dinheirinho extra neste começo de ano. Após ouvir a música Stay with me, de Sam Smith, alguns fãs perceberam que ela era muito semelhante a I won’t back down do cantor americano. A equipe de Smith, de vontade própria, fez um acordo em que Petty recebe 12,5% dos royalties do sucesso pop, grana que ele divide com Jeff Lynne que compôs a canção com ele. As informações são do jornal britânico The Sun.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Além disso, eles ainda terão seus nomes reconhecidos nos créditos, o que deve ser complicado já que Stay with me é muito, mas muito, pior que I won’t back down. Isso não quer dizer que toda cópia é pior que a versão original. Veja 5 plágios que superaram a suas criações originais:

Original:

Cópia:

Randy California, do grupo Spirit, já havia morrido quando membros de sua família processaram o Led Zeppelin pela proximidade de Stairway to Heaven com Taurus.

Original:

Cópia:

Harrison transformou He’s so fine em um hino religioso e primeiro lugar nas paradas inglesas por duas vezes. Somente dois artistas, além de George, conseguiram tamanho feito: Queen com Bohemian Rhapsody e Elvis Presley com três músicas diferentes: Jailhouse Rock, One Night e It’s now or never. My sweet Lord também foi o primeiro número 1 de um Beatle em carreira solo.

Original:

Cópia:

Que venham as pedras dos fanáticos por Jorge Ben, mas Da ya think I’m sexy é muito mais sensual e divertida.

Original:

Cópia:

Ainda hoje, poucos sabem que a música assinatura, e nome de seu disco ao vivo mais famoso, teve inspiração em uma gravação pré-existente.

Original:

Cópia:

Não é das melhores músicas do Oasis, mas com certeza supera a baladinha sem sal I’d like to teach the world how to sing. Liam Gallagher não aprendeu muito, mas cantou mesmo assim.

Bônus:

Original:

Cópia:

Em nenhum aspecto Creep é melhor que The air that I breath, mas quis compartilhar as duas ótimas pérolas. A versão do Hollies foi sucesso em 1974, mas os créditos vão para Mike Hazlewood e Albert Hammond, pai de Albert Hammond Jr. dos Strokes. Por acaso, o maior hit dos nova iorquinos dos Strokes é uma cópia deslavada de American Girl de Tom Petty, que é o motivo desta matéria por conta do plágio de Sam Smith, que com sua cópia foi indicado a melhor canção pop e gravação do ano no Grammy.