Programa educativo começou em fevereiro

Estadão

20 de setembro de 2010 | 00h03

Desde fevereiro a equipe do programa educativo da 29.ª edição, coordenado pela artista e educadora Stela Barbieri, foi a unidades do CEU (Centro Educacional Unificado) e a comunidades como as de Heliópolis, Educandário e São Vicente, para realizar palestras com professores da rede de ensino fundamental do município. A equipe estava munida de material desenvolvido com designers da Bienal (um grupo de artistas sob a direção de André Stolarski), contendo fichas sobre artistas e temas presentes na mostra e até mesmo um jogo. Depois, as atividades estenderam-se a professores da rede estadual de ensino, tendo a Secretaria de Educação do Estado tornado-se parceira da empreitada.

A 29.ª Bienal espera receber 400 mil visitantes pelo programa educativo – 100 mil visitas já estão agendadas. Vale dizer que todo o projeto, com custo de R$ 5 milhões, congrega 22 instituições culturais da cidade. Os 500 monitores da mostra serão estudantes das faculdades Santa Marcelina, USP, Faap, Unesp e Belas Artes.

NÚMEROS

29 milhões de reais é o orçamento desta edição do evento

800 obras de arte estarão abrigadas no pavilhão

100 mil visitas agendadas compõem o programa educativo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.