OAB pede e Bienal nega a retirada de obras

Estadão

23 de setembro de 2010 | 14h53

No último dia 17, três dias antes de sua abertura para convidados, o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, seção São Paulo (OAB-SP), Luiz Flávio D’Urso, divulgou nota pedindo que desenhos do artista fossem retirados da mostra “por fazer apologia ao crime” foram retirados da 29ª edição da Bienal de São Paulo.

O advogado considera a obra polêmica pois, na série, o artista pernambucano se retrata matando o atual presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva e seu predecessor, além de outros oito líderes políticos, sociais e religiosos.  O ex-presidente norte americano George W.  Bush, por exemplo, aparece de joelhos com o artista apontando uma arma para sua cabeça.

A Fundação Bienal de São Paulo reafirmou que as obras não serão retiradas e que estas retratam o tema desta edição: política e arte.

Tudo o que sabemos sobre:

Gil VicenteOAB-SP

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.