Celebração nos 60 anos do construtivismo no Brasil

Estadão

22 de setembro de 2010 | 14h39

Após 20 anos, Almir Mavignier e Alexandre Wollner – dois discípulos que viraram mestres se encontram sob o signo do suíço Max Bill (1908-1994) – o primeiro prêmio na 1.ª Bienal de São Paulo  (1951) e frequentemente apontado como o artista que precipitou a abstração no Brasil. Leia matéria na íntegra.

Tudo o que sabemos sobre:

Alexandre WollnerAlmir MavignierMax Bill

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: