Um Livro Por Semana #17: Como tudo começa (‘O Fim de Eddy’)
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Um Livro Por Semana #17: Como tudo começa (‘O Fim de Eddy’)

'O Fim de Eddy', de Édouard Louis, foi publicado pelo selo Tusquets, da Planeta; e mais na Babel: Silvana Rando agora é autora exclusiva da Brinque-Book

Maria Fernanda Rodrigues

11 de julho de 2020 | 03h00

Um dos nomes mais festejados da literatura francesa contemporânea, e da autoficção internacional, Édouard Louis foi apresentado ao leitor brasileiro em 2018, aos 25 anos, com seu romance de estreia O Fim de Eddy.

‘O Fim de Eddy’ ganhou adaptação para o teatro em NY, em 2019 (Sarah Walker)

Louis leva o leitor para conhecer sua infância, sua família, o lugar onde ele cresceu como Eddy. E não tem nada de agradável nesse passeio. O sofrimento é simplesmente totalitário, como ele diz logo no começo.

Ao voltar à sua vida miserável em Hallencourt, uma ex-vila industrial de cerca de mil habitantes na norte da França, e contar como é se descobrir gay numa sociedade homofóbica, de extrema direita e falida, ele investiga as origens da violência – assunto que retoma em História da Violência, lançado este ano, e que também remete à sua experiência. Se nesse novo livro ele narra o estupro sofrido na véspera do Natal de 2012, quando quase morreu, no primeiro ele conta sobre a humilhação diária a que foi submetido em casa, na escola, em todos os lugares e em todos os momentos.

Foi a arte que ofereceu uma saída daquele inferno. Porque era bom de teatro – e ele disse em entrevista ao Estadão que descobriu isso aos dois anos como forma de sobrevivência – , ele foi fazer o Ensino Médio longe dali. Mais tarde, se formou pela École des Hautes Études en Sciences Sociales.

O título do livro remete ao seu rompimento com o garoto que passou a infância tentando ser. O Fim de Eddy, porém, não é só sobre ele, e não foi escrito apenas como forma de lidar com seu desamparo e passado traumático. É também sobre toda uma sociedade ignorada pela literatura francesa.

Ao remexer nessa história e reencontrar pessoas de seu passado, ele pôde compreender que toda essa violência vinha de uma história coletiva e de uma realidade maior: da forma como a sociedade exclui as pessoas e cria violência.

O FIM DE EDDY
Autor: Édouard Louis
Trad.: Francesca Angiolillo
Editora: Tusquets
(176 págs,. R$ 29,90; R$ 23,90 o e-book)

 

+ BABEL

De casa nova

A escritora e ilustradora Silvana Rando, criadora do simpático elefantinho Gildo, que está fazendo 10 anos, é autora exclusiva do grupo Brinque-Book a partir de agora. Assim que os contratos dos livros antigos, publicados por outras editoras, forem expirando, eles serão reeditados pela nova casa, que já prepara dois lançamentos para o fim do ano: O Incrível Livro do Gildo e Socorro em: Uma Vida Nada Fácil. Socorro é uma barata, personagem dos livros do Gildo que se tornou xodó das crianças. Pela Brinque-Book, Silvana já tem 15 títulos que somam 300 mil exemplares vendidos – 130 mil deles são da coleção Gildo, incluindo ainda os livros interativos e os de banho.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.