Sophie Hannah vai escrever novo livro como Agatha Christie – e outros destaques da Feira de Frankfurt
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Sophie Hannah vai escrever novo livro como Agatha Christie – e outros destaques da Feira de Frankfurt

E uma notícia do Brasil: Record fecha com a Amazon e seus e-books agora poderão ser "alugados"

Maria Fernanda Rodrigues

17 Outubro 2015 | 12h03

Novo ‘Agatha Christie’

agatha christie

Sophie Hannah vai escrever um segundo protagonizado pelo detetive Poirot. A encomenda veio mais uma vez dos herdeiros de Agatha Christie, que disseram que o primeiro título escrito pela britânica que participou da Festa Literária Internacional de Paraty este ano, apresentou a Rainha do Crime para as novas gerações. No Brasil, ‘Os Crimes do Monograma’ foi lançado pela Nova Fronteira. Sophie é autora, também, de ‘A Vítima Perfeita’, publicado pela Rocco. O novo livro se chamará ‘O Caixão Fechado’ e está previsto para sair nos Estados Unidos e Reino Unido, pela Harper Collins, em setembro de 2016.

Mini Davos
Eles apelidaram o projeto Mini Davos, mas ainda é cedo para saber o impacto que a reunião de escritores durante a Feira do Livro de Frankfurt terá de fato. Frankfurt Undercover foi criado em 2015 pela dinamarquesa Janne Teller e pelos organizadores do evento com a ideia de fazer os escritores que já viriam à feira por algum motivo sentassem juntos e pensassem em questões atuais. O tema deste ano foi extremismo. A partir da discussão entre cerca de 40 autores do mundo todo (a brasileira Noemi Jaffe participou), será produzido um documento a ser enviado, primeiro, ao governo alemão, e depois, quem sabe, para a ONU.

Comprar e vender
Na Feira do Livro de Frankfurt são vendidos direitos de publicação de livros. Apenas no fim de semana, quando o evento é aberto para o público, alguns expositores vendem os volumes de seus estandes para facilitar e baratear a volta para casa. Este ano, porém, foi possível “comprar” livros durante todo período da feira. Mas era preciso fazer o download do aplicativo da Buchhandel, uma plataforma coletiva de livros em alemão. No estande, bastava escanear o código de barras, escolher, ali pelo aplicativo mesmo, a livraria de quem gostaria de comprar, finalizar o processo e esperar a entrega em casa.

Reta final

cosplay

De quarta a sexta, eram profissionais da indústria do livro que circulavam pela feira. Hoje, já estão quase todos a caminho de casa e o que se vê é uma legião de meninos e meninas fantasiados e de famílias. A entrada é gratuita para quem entra na brincadeira e veste a fantasia. O estande coletivo do Brasil também está mais vazio. Na tarde deste sábado, Noemi Jaffe, Luis S. Krausz, Fernando Bonassi e Ricardo Lísias participaram de um bate-papo com o público.

feira do livro de frankfurt

Enquanto isso, no Brasil…
O Grupo Record assinou com a Amazon e a partir de agora seus e-books (“centenas”) estarão disponíveis no Kindle Unlimited. O serviço de assinatura de livros foi lançado em dezembro de 2014 com algumas boas editoras, mas nenhuma tão expressiva quanto a Record. Naquela época, por R$ 19,90, o assinante tinha acesso a um acervo de 700 mil e-books – 10 mil deles em português. A empresa fala agora em 1 milhão e livros digitais, incluindo 25 mil em português.

Leia ainda: 
Sucesso no Instagram, ‘Um Cartão’ vai virar livro; veja destaques da Feira de Frankfurt
Irã, com estande cheio de cartazes sobre liberdade de expressão, comenta boicote à Feira de Frankfurt

Mais conteúdo sobre:

AmazonFeira do Livro de Frankfurt