Pinheiros ganha mais uma livraria de rua: a Mandarina
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Pinheiros ganha mais uma livraria de rua: a Mandarina

E mais na coluna Babel: os novos curadores do Prêmio São Paulo; Mulherzinhas; É Chique Morar em Paris?; The Incurable Romantic

Maria Fernanda Rodrigues

10 de agosto de 2019 | 03h00

MERCADO
Pinheiros ganha mais uma livraria de rua: a Mandarina

livraria mandarina

A Livraria Mandaria fica na Rua Ferreira de Araújo, 373

A jornalista Roberta Paixão e a publicitária Daniela Amendola inauguram no domingo, 18, às 11h, a Livraria Mandarina. Ela fica num sobrado de 100 m², na Ferreira de Araújo, 373, em Pinheiros – mas um pouco distante da nova Travessa. A Mandarina será focada em livros nas áreas de ciências políticas, sociologia, psicologia e história, entre outras – e, claro, literatura. A preferência será por obras de editoras independentes de todo o País. No andar de baixo, ficam a praça de convivência, a loja com café e um jardim de inverno. No de cima, uma sala para as crianças e outra para grupos de estudo. A Mandarina planeja clubes de leitura, eventos e cursos – o primeiro será com Gonçalo M. Tavares. No dia da abertura, às 16h, Milton Hatoum fala sobre a importância das livrarias.

PERFIL
Editores brasileiros
Em fase de captação de recursos no Catarse, o projeto do livro 100 Nomes da Edição no Brasil, do jornalista Leonardo Neto e da editora Oficina Raquel, terá, além dos nomes que fizeram história, um bônus com 10 perfis de jovens editores que poderão representar o futuro do livro no País. Dois deles: Larissa Cadin (Primavera Editorial) e Henderson Fürst (Grupo GEN).
*
A lista dos 100 vai de Lobato e José Olympio a Jiro Takahashi, o nome por trás da, entre tantos projetos, coleção Vaga-Lume, passando por Vivian Wyler e Charles Cosac.

PRÊMIO
Os novos curadores
O Prêmio São Paulo de Literatura, que mudou este ano e volta a ter apenas uma categoria de autor estreante, independentemente da idade, e a de veterano, terá os seguintes curadores: Anna Maria Martins, Martim Vasques da Cunha, Joselia Aguiar e Cecília Scharlach.

NÃO FICÇÃO – 1
O lado b de Paris
Marcia Camargos, autora de Semana de 22: Entre Vaias e Aplausos, entre outras obras (inclusive sobre Lobato), conta o lado b de viver na França em É Chique Morar em Paris? Baseado em sua experiência pessoal – ela vive lá desde 2016 – e no relato de amigos, o livro sai nos próximos dias pela Folhas de Relva Edições com ilustrações, informações históricas e culturais e dicas para os que querem viver lá.

NÃO FICÇÃO – 2
Romântico incurável
A Faro Editorial lança, ainda neste semestre, The Incurable Romantic, do psicólogo britânico Frank Tallis. Trata-se de um estudo sobre o amor – mas o amor obsessivo, platônico, unilateral. Nas palavras de Ian McEwan: “Frank Tallis traz sua experiência clínica de uma vida e uma sábia reflexão para uma condição que, por seus caminhos estranhos, nos leva ao próprio coração do amor”.

CLÁSSICO
Romance de formação

mulherzinhas

Publicado originalmente em 1868, Mulherzinhas, obra da americana Louise May Alcott que acompanha o amadurecimento de quatro irmãs, sairá em outubro pela coleção Clássicos Zahar com sua continuação, 130 ilustrações (abaixo) e uma cronologia de vida e obra da autora.

Tendências: