Babel: Milan Kundera volta ao romance
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Babel: Milan Kundera volta ao romance

Maria Fernanda Rodrigues

07 de março de 2014 | 22h39

A coluna Babel, publicada no caderno 2 de 8 de março, traz informações sobre os novos romances de Milan Kundera e Imre Kertész previstos para sair no País, os planos digitais da Rocco, Wendy Goldman no Brasil e o signo dos apóstolos pintados por Da Vinci.

ROMANCE
Milan Kundera volta à ficção com umbigos, Paris e Stalin

Boa notícia para os leitores de Milan Kundera (foto), que desde 2002 não veem uma ficção nova dele nas livrarias: A Festa da Insignificância, lançado na Itália em 2013, será publicado aqui em agosto pela Companhia das Letras. No novo romance do autor de A Insustentável Leveza do Ser e Risíveis Amores, Alain vagueia por Paris num dia de verão, se depara com a última moda (calça de cintura baixa e barriga à mostra) e reflete sobre como a sociedade contemporânea colocou o umbigo no centro do erotismo. A obra alterna as reflexões do protagonista e de seus amigos, que levam uma vida esvaziada na capital francesa, com seus encontros e memórias que remontam ora ao stalinismo ora à contemporaneidade, sempre remetendo à insignificância da existência humana.

FICÇÃO
Inércia e barbárie
Também do leste europeu vem História Policial, do húngaro Imre Kertész, Nobel de 2002, que a Tordesilhas lança nos próximos dias. O livro conta a trajetória de pai e filho nos subterrâneos de ditadura latino-americana baseado no relato de um ex-torturador, que escreve da prisão, e de fragmentos do diário de um jovem torturado.

HISTÓRIA
A mulher na URSS
Em maio, a historiadora americana Wendy Goldman faz palestra em SP, Rio e Campinas para divulgar Mulher, Estado e Revolução: Política Familiar e Vida Social Soviéticas (1917-1936), que sai este mês pela Boitempo e Iskra.

DIGITAL
Em defesa do e-book
No dia 17, a Rocco inicia a publicação, em suas redes sociais, de uma série de 10 tirinhas de Stêvz sobre o universo do livro digital. O dinossauro abaixo é o personagem da campanha, que terá outro marco: o lançamento dos dois primeiros e-books da série Doctor Who – 11 Doutores, 11 Histórias, inspirada no seriado britânico. São eles Uma Mãozinha para o Doutor, de Eoin Colfer, e A Cidade Sem Nome, Michael Scott. Só no segundo semestre esses e os outros 9 títulos – haverá um de Neil Gaiman – serão reunidos num volume impresso.


MARKETING
Antes da eleição
Gaudêncio Torquato, autor de Marketing Político e Governamental, o primeiro livro do gênero publicado no Brasil (1985), volta ao tema e lança, pela Summus, em junho, O Novo Manual de Marketing Político.

JUVENIL
Com a ajuda da filosofia
Com Obedecer? Ou Rebelar-se? e Amar um Pouco, Muito… Loucamente?, a Alaúde inicia, em meados do mês, a edição da coleção francesa Jovens Pensadores, da Gallimard. É para crianças a partir de 12 anos.

NÃO FICÇÃO
Da Vinci e os signos
Para o astrólogo brasileiro Pedro Tornaghi, no quadro A Última Ceia, de Leonardo Da Vinci, cada apóstolo é a representação de um signo. Ele defende essa ideia em Leonardo Astrólogo, que lança, em junho, pela Bertrand. A obra dedica um capítulo para cada apóstolo e discute, ainda, questões como leitura corporal, simbolismo, psicologia, renascimento e espiritualidade.

Tudo o que sabemos sobre:

e-bookLiteraturaliteratura juvenil

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.