Lote 42 vai à Flip, lança zine e participa de feira independente
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Lote 42 vai à Flip, lança zine e participa de feira independente

E mais na coluna publicada no Caderno 2, dia 27: mais José Geraldo Vieira, Adriana Lisboa apresenta seus alunos, Ricardo Lísias dá conto em seu aniversário, etc.

Maria Fernanda Rodrigues

26 de junho de 2015 | 21h30

INDEPENDENTE
Lote 42 vai à Flip, lança zine e participa de feira independente
odio

Aproveitando os olhares voltados à Flip na próxima semana, a Lote 42 desembarca em Paraty com uma mala cheia de livros e uma novidade: o primeiro número do , zine trimestral (sem compromisso, os editores dizem) que na estreia traz textos sobre o ódio – “pensamentos que ajudam a desvendar de onde viemos para entender como estamos”. Há, ali, considerações de Platão, Spinoza (acima), Freud, Kafka, Machado, etc., todos mortos – e este é o pré-requisito para ser incluído. As ilustrações são de João Montanaro e o projeto gráfico, de Gustavo Piqueira, da Casa Rex. Vai ser possível destacar os textos graças a uma miniserrilha. São quatro folhas no tamanho A3 (oito páginas), capa em Letterpress e serigrafia. Vai custar R$ 10.
*
Mó estará à venda com os outros títulos da editora no número 270 da Rua da Praia (não estranhe os tapumes, ela está em reforma).
*
Fora isso, a Lote 42 participa, com outras independentes, da Feira Saca, que vai marcar a inauguração, na 5.ª, às 16 h, do Madame Duranga Brechó Café. Estarão na feira, que vai até sábado, Beleléu (Rio de Janeiro), Companhia Rapadura (São Paulo/Brasília/Sarajevo), Deep Edições (São José do Vale do Rio Preto­RJ), Edições Chão da Feira (BH/Lisboa), Editora Criatura (Rio), Esther Azevedo (BH), Kammal João (Rio), lavoura ambulante & edições (BH), Lote 42 (São Paulo), nunc ­ edições de artista (BH), Paloma Mecozzi (São Paulo), Pipoca Press (Rio), Rua do Ensaio (Rio), Secos e Mofados (Paraty), Thiago Camelo (Rio) e Vibrant Editora (São Paulo).

RESGATE
Carta à filha
Longe das livrarias por muito tempo, José Geraldo Vieira (1897-1977) começou a ter sua obra reeditada pela Descaminhos em 2014, em e-books vendidos apenas na Amazon. Já saíram Terreno Baldio (1961), A Ladeira da Memória (1949), Território Humano (1936) e O Albatroz (1951). Na 2.ª, começa a ser vendido Carta a Minha Filha em Prantos (1946), classificado por Sérgio Milliet como “poema em prosa de rara beleza”.
*
O texto foi escrito numa assentada após o autor, exilado em Marília, receber telefonema da mulher dizendo que a filha estava desesperada com a convocação do noivo, piloto da FAB, para a guerra.

COLETÂNEA
Novos autores
Adriana Lisboa organiza, para a Mombak, um livro, também digital, com textos de 14 alunos da oficina literária online que dá desde março. São todos brasileiros, mas que vivem em diferentes países. Sai ainda em 2015.

CONTO
Lembrancinha
No dia 7, quando Ricardo Lísias faz 40 anos, seu novo livro, Fisiologia da Idade, da e-galáxia, estará disponível para download gratuito. Neste longo e heterodoxo conto – há tuítes, reproduções de HQ, boletos bancários –, o autor busca reconstruir a juventude de seu personagem (Ricardo Lísias) tendo suas primeiras leituras como partida.

MARKETING
De olho no mercado
Ex-gerente de marketing do grupo WMF Martins Fontes e com passagens pela Cosac Naify e Vira Cultura (como curadora, em 2013), Beatriz Reingenheim inaugura a Kulturális. Trata-se de uma empresa de marketing, comunicação e eventos focada no mercado editorial que vem sendo idealizada desde 2009, quando ela terminou o mestrado em gestão cultural, em Paris.

FICÇÃO
Ricos e pobres
Elogiado por John Green, Estado Selvagem, de Roxane Gay, teve os direitos adquiridos pela Novo Século. É um thriller acerca do sequestro da filha de um dos homens mais ricos do Haiti.

NÃO FICÇÃO
Antes do feminismo
Está chegando às livrarias, pela Edipro, Reivindicação dos Direitos das Mulheres – O Primeiro Grito Feminista, de Mary Wollstonecraft (1759-1797). A obra, inédita no País, é considerada pioneira na discussão do tema.

FANTASIA
Mulheres e a sci-fi
O selo Fantástica, da Rocco, acaba de fechar contrato com Aline Valek, cocriadora do projeto Universo Desconstruído, sobre ficção científica feminista, e que escreve sobre feminismo na Carta Capital. Ela lança, em 2016, Vozes do Oceano, sobre uma estação de pesquisa no fundo do mar. Ela estará na Casa Rocco, na Flip, sábado, dia 4, às 15 h.

Tendências: