Livro de Bernardo Kucinski sobre a ditadura militar vai virar filme
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Livro de Bernardo Kucinski sobre a ditadura militar vai virar filme

E mais na Babel: o festival de literatura holandesa, o Brasil no Salão de Paris, sete livros de Lukács, etc.

Maria Fernanda Rodrigues

07 de novembro de 2014 | 20h51

ADAPTAÇÃO
Livro de Bernardo Kucinski sobre a ditadura vai virar filme

(Foto: Marcos de Paula/Estadão)

K. – Relato de Uma Busca foi escrito despretensiosamente por Bernardo Kucinski e publicado discretamente pela Expressão Popular em 2011. Uma das poucas ficções sobre a ditadura militar, o romance autobiográfico logo chamou atenção e ganhou menção honrosa no Prêmio Portugal Telecom. De lá para cá, a história da busca de um pai (um judeu polonês que escolheu o Brasil para fugir do nazismo) por sua filha desaparecida durante a repressão militar só colheu bons frutos. A obra foi relançada pela Cosac Naify, que publicou, ainda, Você Vai Voltar Para Mim (Prêmio FBN), com contos também sobre o período, e tem levado o autor para debates e lançamentos em diversos países – no dia 17, ele lança, em Israel, a edição em hebraico. A novidade agora é que Bernardo Kucinski vendeu os direitos da adaptação cinematográfica de K. para a RT Features, produtora de Rodrigo Teixeira. O filme inspirado no drama da família de Kucinski não tem previsão de estreia.

EVENTO – 1
Holandeses em 2015
Começa a tomar corpo o festival – que deve ganhar o nome de Café Amsterdã – que a Fundação Holandesa das Letras fará em São Paulo e no Rio em 2015. Entre os autores convidados estão, entre outros, Barbara Stok, autora de Vincent, a biografia em HQ de Van Gogh que a L&PM lança nos próximos dias; Toine Heijmans, que terá Em Alto Mar publicado pela Cosac Naify; e Peter Buwalda, no prelo da Alfaguara com Avenida Bonita.
*
Para promover a literatura de seu país, a fundação banca 70% da tradução de obras contemporâneas e 100% de clássicas, ajuda em viagens de autores e hospeda tradutores.

EVENTO – 2
Reta final
O Brasil, país homenageado do Salão do Livro de Paris, tem até 9/12 para fechar a lista de autores que levará, em março, ao evento – uma seleção preliminar já foi aprovada pelos franceses, que pediram atenção a autores de não ficção, especialmente na área de ciências sociais.

ENSAIO
Sobre arte
Está em gráfica o livro Conexões – Ensaios de História da Arte, organizado por Roberto Conduru, Maria Berbara e Vera Beatriz Siqueira para a Eduerj. A obra traz artigos sobre temas diversos abordados em disciplinas de cursos de graduação em Artes Visuais e História da Arte.

NÃO FICÇÃO
Investindo em Lukács
A Boitempo já tinha seis títulos do filósofo György Lukács em seu catálogo e acaba de adquirir os direitos de outras sete obras: a autobiografia Pensamento Vivido, O Jovem Hegel, Estética, Goethe e Seu Tempo, Reboquismo e Dialética, O Realismo Russo na Literatura Mundial e Marx e Engels Como Historiadores da Literatura.

CINEMA
Os meandros do ofício
On Film Making, de Alexander Mackendrick (1912-1993), será editado pela WMF Martins Fontes no segundo semestre de 2015. O autor foi roteirista e diretor em Hollywood (A Embriaguez do Sucesso) e professor.

ROMANCE
O novo e o primeiro
André de Leones fechou com a Rocco a edição de Abaixo do Paraíso, seu novo romance que ficará pronto em 2015. O livro é situado no centro-oeste e tem como protagonista um “tarefeiro”, um auxiliar de políticos (inclusive para serviços escusos). E acertou a reedição de Hoje está um Dia Morto (Prêmio Sesc), que faz 10 anos em 2016.

Tudo o que sabemos sobre:

Bernardo KucinskiSalão do Livro de Paris

Tendências: