Exposição no Museu da Língua Portuguesa propõe reflexão sobre identidade a partir do design gráfico
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Exposição no Museu da Língua Portuguesa propõe reflexão sobre identidade a partir do design gráfico

A coluna Babel de 16 de agosto com informações sobre a nova exposição do Museu da Língua Portuguesa, o primeiro infantil de Luiz Ruffato, uma homenagem para Hélio Pólvora, Manu Maltez e o skate e outras novidades do mercado editorial

Maria Fernanda Rodrigues

15 de agosto de 2014 | 20h43

EXPOSIÇÃO
Uma reflexão sobre identidade a partir do design gráfico
Depois de homenagear vários escritores e o músico Cazuza, o Museu da Língua Portuguesa abre, na quinta, a Exposição Internacional de Cartazes AGI, feita com a Alliance Graphique Internationalle (AGI) – foi ela quem pediu para seus associados convidarem um jovem artista a criar um cartaz baseado na história do design gráfico brasileiro. A curadoria é de Kiko Farkas e Rico Lins, nomes conhecidos do mercado editorial, e serão exibidos cerca de 200 trabalhos inéditos, como o que pode ser visto abaixo, feito por Sophia Martineck a pedido de Henning Wagenbreth. A artista, aliás, participa, no dia 23, na Bienal e depois no Instituto Goethe, de leitura musicada em homenagem Stevenson. Entre os outros designers com cartazes no museu estão Guto Lacaz e Max Kismann.


HOMENAGEM
Festa para Hélio Pólvora
O 5º Festival Nacional do Conto, a ser realizado entre 20 e 24 de maio em Florianópolis, vai homenagear o baiano Hélio Pólvora com uma exposição – que percorrerá ainda 22 cidades catarinenses – e mesas sobre o autor. A homenagem será estendida ao Nordeste, e escritores da região serão convidados.

DIREITOS
Infantil na Inglaterra
Ganhador do Jabuti em 2007, o infantil Felpo Filva, de Eva Furnari, será publicado na Inglaterra pela Pushkin Press com tradução de Alison Entrekin, que já verteu para o inglês obras de autores como Clarice Lispector e Chico Buarque.

JUVENIL
O skate e a cidade
Desequilibristas é o título do livro que o artista plástico, músico, desenhista, escultor – e skatista – Manu Maltez lança pela Peirópolis, na Bienal.
*
A obra transita por diversas linguagens e traz, além de poemas-manifesto, dezenas de desenhos feitos a nanquim (abaixo) que retratam o movimento skatista e sua presença no espaço urbano.


ESTREIA

Incômodo poético
Depois de 20 anos de jornalismo, com passagens pela Globo e ESPN, entre outras emissoras, André Argolo deixou o ofício para se dedicar à escrita. Fez um curso de formação de escritor, e foi lá que nasceu Vento Noroeste, livro de poemas que a Patuá lança em breve. O título vem do vento mais quente e incômodo do litoral sudeste – e que antecede tempestades.

NÃO FICÇÃO
Ditaduras atuais
Escola dos Ditadores – Dentro da Luta Global pela Democracia, de William J. Dobson, será lançado em setembro pela Edipro, com prefácio colunista do Estado Mac Margolis.

INFANTIL
O sapo de Ruffato
O primeiro infantil de Luiz Ruffato fica pronto na próxima semana, para a Bienal do Livro. A História Verdadeira do Sapo Luiz ganhou ilustrações (abaixo) de Ionit Zilberman e sairá pela Dsop, editora que anda investindo forte na construção de seu catálogo – na Flip, ela relançou Amanhecer Esmeralda, de Ferréz, e apresenta, também na Bienal, Cortázar – Notas Para Uma Biografia, de Mario Goloboff.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.