Estação das Letras terá oficinas online
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Estação das Letras terá oficinas online

E ainda na Babel: Josh Malerman na Bienal, o primeiro romance do poeta Henrique Rodrigues, uma antologia de poesia com temática homoerótica em gestação, a enciclopédia de Diderot e as memórias de Nanette, que sobreviveu ao horror

Maria Fernanda Rodrigues

12 de junho de 2015 | 22h09

CURSO
Oficinas da Estação das Letras terão edição online

(Foto: Neco Varella/Estadão)

(Foto: Neco Varella/Estadão)

A Estação das Letras, que há quase duas décadas promove cursos nas áreas de literatura e mercado editorial, no Rio de Janeiro, vai expandir sua atuação com o início, em julho, de suas oficinas online. Houve um piloto em março, e a estreia da nova fase do projeto idealizado por Suzana Vargas será no dia 2, com a Oficina de Poesia, que Luis Maffei dá até o dia 30, e com O Romance e Suas Bases: Como Fazer, com Cintia Moscovich (foto), que vai até 27/8. De 6/7 a 31/8, João Paulo Vaz dá uma oficina introdutória de conto. No mesmo período, Ana Letícia Leal comanda o curso Exercício de Autoficção: Escrita e Memória Pessoal. O Moodle foi a plataforma escolhida e entre os materiais de apoio estarão textos e vídeos. Em alguns casos, haverá chat ao vivo. As inscrições serão abertas na segunda, 15, no site da Rede Escreviver.

POESIA
Momento oportuno
Os poetas Ramon Nunes Mello e Bruna Beber tiraram da gaveta o projeto de organizar uma antologia de poemas com temática homoerótica. A decisão de resgatar a pesquisa iniciada em 2012 foi anunciada agora e já ganhou a adesão de Ítalo Moriconi, professor da UFRJ, que fará a apresentação. A dupla ainda procura editora.
*
“Na época, parecia que já tinha passado da hora de fazer o projeto, mas não sentimos tanta receptividade. As coisas mudaram um pouco e vêm mudando, lentamente e com tropeços, então é o momento de retomar. E entrar no debate”, conta Bruna. “É uma reflexão pela arte sem levantar bandeira”, diz Ramon.

ROMANCE
Salpicado de memória
Poeta, cronista e organizador de antologias como O Livro Branco, com contos baseados em músicas dos Beatles, e Como se Não Houvesse Amanhã, com textos inspirados em letras da Legião Urbana, Henrique Rodrigues lança seu primeiro romance em setembro. O Próximo da Fila sairá pela Record e conta a trajetória de um jovem que, no início da década de 1990, tenta observar o mundo por trás do balcão de um restaurante fast-food.
*
Henrique, que é hoje assessor de literatura do Sesc Nacional, trabalhou no McDonald’s entre os 15 e 18 anos e revisita agora a adolescência nesta obra de ficção.

ENCICLOPÉDIA
Inventário do saber

esq
Prevista para 2014, a Enciclopedia de Diderot e D’Alembert, com 5 volumes e 2 mil páginas, está na programação da Unesp para agosto. A edição, que seria impressa na Índia, será feita aqui mesmo depois da alta do dólar. A capa terá textura de linho e 170 imagens. Segundo a editora, esta deve ser a mais completa edição feita fora da França – com 240 verbetes pinçados entre os mais de 72 mil artigos da obra do século 18.

FEIRA
Malerman na Bienal

(Foto: Doug Coombe/Divulgação)

(Foto: Doug Coombe/Divulgação)

Autor de Caixa de Pássaros, o americano Josh Malerman participa, em setembro, da Bienal do Livro do Rio. Lançado em janeiro pela Intrínseca, este seu romance de estreia explora um cenário apocalíptico em que pessoas enlouquecem e se matam de forma misteriosa.

BIOGRAFIA
Lembranças do horror
Aos 86 anos, a holandesa Nanette Blitz Konig lança Eu Sobrevivi ao Holocausto, pela Universo dos Livros, em julho. Ela estudou com Anne Frank, quase morreu em campo de concentração, perdeu toda a família, se refugiou na Inglaterra e reconstruiu a vida no Brasil