Diário da Flip – 3/7/15
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Diário da Flip – 3/7/15

A sexta-feira na Festa Literária Internacional de Paraty

Maria Fernanda Rodrigues

03 Julho 2015 | 10h36

As principais matérias do dia:
Machado de Assis e Dalton Trevisan são lembrados em mesa sobre literatura erótica
Discordâncias conceituais marcam a primeira mesa científica desta Flip

A importância de Mário de Andrade na história de São Paulo
A escrita íntima de Boris Fausto e suas reflexões sobre o País
Na Flip, editores fazem manifesto pela continuidade da política do livro

22h30
Contradições 

Foto: Guilherme Sobota/Estadão

Foto: Guilherme Sobota/Estadão

Pouco antes de a mesa com Sidarta Ribeiro e Eduardo Gianetti começar – para discutir, com considerável densidade científica, ‘as ilusões da mente’ –, um grupo de 10 pessoas protestava do lado de fora da Tenda dos Autores a favor da greve da UFF, que ocorre desde maio. (Guilherme Sobota)

22h25
Lei seca
A escassez das festas habitualmente promovidas pelas editoras em Paraty, fruto da crise econômica, fez com que a organização da Flip alertasse as que pouco se aventuraram (Rocco, principalmente) a tomarem cuidado com invasões de penetras em busca de bebida gratuita. (Ubiratan Brasil)

17h10
As duas vozes de Sophie Hannah
A britânica Sophie Hannah participa, na Flip, de mesa sobre literatura policial. Recentemente, ela foi convidada pelo espólio de Agatha Christie para escrever um livro como se fosse a Rainha do Crime. O nome das duas aparece na capa de Os Crimes do Monograma, que saiu pela Nova Fronteira. Pela Rocco, ela lança, agora, A Vítima Perfeita. Mas o que será revelado em encontro na Casa Rocco, na sexta, às 19 horas, será seu lado poeta. Ela vai conversar com o editor Miguel Conde e prometeu ler alguns dos seus poemas – são todos inéditos no País. A Casa Rocco fica na esquina da Rua da Matriz com a Comendador José Luiz e a entrada é gratuita. No domingo, ela debate com Leonardo Padura. Os ingressos estão esgotados, mas é possível assistir pelo telões montados ao redor da Tenda dos Autores. (Maria Fernanda Rodrigues)
*
E por falar em Agatha Christie, ela encontrou um guardião na Livraria da Travessa, na Flip:

Foto: Maria Fernanda Rodrigues/Estadão)

Foto: Maria Fernanda Rodrigues/Estadão)

16h56
O manifesto do mercado editorial
Entidades como a Câmara Brasileira do Livro, Sindicato Nacional de Editores de Livros, Liga Brasileira de Editoras, Associação Nacional de Livrarias e Abrelivros entregam agora, à senadora Fátima Bezerra, um manifesto em repúdio ao corte nas compras governamentais – em todas as instâncias – de livros. A senadora é relatora do projeto que sugere a criação de uma lei do preço fixo do livro no País. Ela participou de seminário sobre o tema ontem, na Flip, e agora conversa com José Castilho Marques Neto, secretário-executivo do PNLL; Afonso Martin, presidente da ANL, e Raquel Menezes, presidente da Libre, sobre o Plano Nacional do Livro e Leitura . O encontro começa às 17h, na Casa Libre Nuvem de Livros. (Maria Fernanda Rodrigues)

15h55
Saindo pelo ladrão

(Foto: Maria Fernanda Rodrigues/Estadão)

(Foto: Maria Fernanda Rodrigues/Estadão)

Existe uma outra Flip que acontece longe da Tenda dos Autores. Hoje, por volta das 15h, o público lotou a Casa Rocco e a Casa Sesc. Na primeira, conversavam Frei Betto e Jacques Fux. O tema era Isso é coisa de criança? Religião, Filosofia e Morte. Betto volta à casa amanhã e participa de bate-papo com Guiomar de Grammont, às 17h. Na sequência, às 19h, Fux e Eliane Robert de Moraes participam do debate Brochadas: Confissões Sexuais e Invenções Literárias. Brochadas é o título do romance que o vencedor do Prêmio São Paulo de Literatura (2013) lança, no mês que vem, pela editora. (Maria Fernanda Rodrigues)

13h15
Livros de fone de ouvido
Primeira plataforma de streaming de livros do Brasil, a ubook vai lançar em Paraty, hoje, o audiolivro Partículas Subatômicas – Microcontos Brasileiros, em parceria com a editora O Fiel Carteiro, organizado por Luiz Ruffato e José Santos, com textos de Fernando Bonassi, Cidinha da Silva, Rogério Pereira e outros. A plataforma arrebanhou, em oito meses de funcionamento, 650 mil assinantes, e cerca de mil títulos. A equipe da ubook fica na Casa Coworking, na Rua do Comércio, 26, / Guilherme Sobota

12h05
Perspectiva na Flip
Jacob Ginzburg não pode participar da mesa São Paulo! Comoção de Minha Vida…, mas o curador Paulo Werneck fez uma homenagem ao fundador da editora Perspectiva, que celebra em 2015 seus 50 anos, na abertura do debate que reúne, agora, Roberto Pompeu de Toledo e Carlos Augusto Calil. A mediação é de João Gabriel de Lima. (Maria Fernanda Rodrigues)

10h30
A dor, o luto, a escrita
boris

Boris Fausto abre os trabalhos nesta sexta-feira, em mesa mediada por Paulo Roberto Pires. Ontem, ao Estado, ele contou que não queria falar apenas sobre O Brilho do Bronze, o diário que escreveu nos quatro anos seguintes à morte da mulher, companheira em quase meio século. Não que ele não fosse um livro importante – “foi escrito com o coração” -, mas porque a obra dele é mais ampla. Conversamos um pouco ontem pela manhã e trecho da entrevista foi publicado no Caderno 2 de hoje. Aqui, uma versão ampliada da entrevista: Historiador Boris Fausto fala sobre seu diário do luto, maioridade penal e PT em Paraty. (Maria Fernanda Rodrigues)
*
E aqui, a cobertura da mesa: A escrita íntima de Boris Fausto e suas reflexões sobre o País.

Mais conteúdo sobre:

flip