Babel: Martins ganha processo por direitos de Lezama Lima
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Babel: Martins ganha processo por direitos de Lezama Lima

Maria Fernanda Rodrigues

15 de junho de 2019 | 03h08

TRADUÇÃO – 1
Martins ganha processo por direitos de Lezama Lima

(Foto: Acervo Estadão)

O leitor acompanha desde 2014 o imbróglio envolvendo a publicação de Paradiso, de Lezama Lima (1910-1976; foto), simultaneamente por duas editoras brasileiras – a Martins e a Estação Liberdade. Recapitulando: o autor não deixou testamento e sua obra passou para o Estado cubano, com quem a Martins negociou. Já a Estação Liberdade comprou os direitos da irmã do autor. Pois esta semana a Estação Liberdade foi condenada a pagar R$ 225 mil em indenização à Martins, além de outros valores relativos aos custos do processo. E a juíza mandou recolher a edição da Estação Liberdade do mercado. A Martins espera um pedido de apelação, mas diz que não é preciso aguardar a decisão da 2.ª instância para que a sentença seja cumprida.

TRADUÇÃO – 2
Editora vai recorrer
Apesar da decisão judicial, a Estação Liberdade não considera o caso encerrado e diz que vai mesmo recorrer. Segundo Angel Bojadsen, sua negociação começou muito antes.
*
“Adquirimos os direitos seis anos antes junto à família, assim como o fizeram a Farrar Straus & Giroux, a Suhrkamp, a Seuil, a Grupo Anaya/Cátedra, a Era e assim por diante. Todas essas editoras não estão na ilegalidade! Só em 2011 os cubanos despertaram para o Paradiso? Nós assinamos o contrato em 2006, a Brasiliense já o tinha feito em 1987”, diz o editor.

FICÇÃO
Inconcebível paraíso

Nos 120 anos de Andrei Platônov (1899-1951), um dos maiores escritores russos do século 20, seu romance Tchevengur (o único que ele finalizou) ganha a primeira edição no Brasil, em setembro, pela Ars et Vita e Kalinka. Escrito entre 1926 e 1929, mas só lançado em 1988, ele será traduzido do russo por Maria Vragova e Graziela Schneider e terá ilustrações (ao lado) de Svetlana Filíppova. A obra discute dialeticamente a utopia soviética comunista: nos anos 1920 (entre a guerra civil e a Nova Política Econômica), Aleksandr Dvánov, filho de um suicida, e Stepan Kopenkin, acompanhado por seu rocim Força Proletária, erram pelo sul da Rússia em busca do éden comunista e acabam em uma cidade alucinante, Tchevengur, onde seres humanos belos e possessos concebem o inconcebível paraíso.

NÃO FICÇÃO
Carreira e salário
Pare de Ganhar Mal, do especialista em negociação Breno Paquelet, será publicado pela Sextante em agosto.

ENCONTRO
Summus, 45 anos
O Grupo Summus comemora 45 anos com o encontro Compartilhando Conhecimento, em julho, na Unibes. São quatro painéis sobre temas de sua linha editorial: comunicação, corpo e mente, psicologia e educação.

DEBATE
Lá na Laje
Jéssica Balbino retoma, dia 26, o clube literário Lá na Laje, no Sesc Pompeia. O tema é Resistência: Substantivo Feminino e entre as autoras confirmadas, negras e indígenas, daqui e de fora, estão Cidinha da Silva, Eliana Alves Cruz, Igiaba Scego, Futhi Ntshingila e Mirta Portillo.

Tendências: