Babel: Livro de Luana Génot sobre desigualdade racial nas empresas a caminho das livrarias
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Babel: Livro de Luana Génot sobre desigualdade racial nas empresas a caminho das livrarias

'Sim à Igualdade Racial: Raça e Mercado de Trabalho' será lançado pela Pallas. E mais na coluna Babel: clássicos, livros sobre maternidade e sobre criança transgênero e os números do projeto Brazilian Publishers em 2018

Maria Fernanda Rodrigues

02 de março de 2019 | 03h00

NÃO FICCÃO
Obra de Luana Génot analisa a desigualdade racial nas empresas

Luana Génot

Luana Génot lança ‘Sim à Igualdade Racial: Raça e Mercado de Trabalho’ (Foto: Rafael Jacinto/Divulgação)

Chega às livrarias no fim do mês, pela Pallas, Sim à Igualdade Racial: Raça e Mercado de Trabalho. O livro é resultado da dissertação de mestrado de Luana Génot (foto) em Relações Étnico-raciais e traz análises da autora, que é diretora executiva do Instituto Identidades do Brasil (ID_BR), e 16 depoimentos de pessoas de diferentes perfis. A obra defende que a igualdade racial é peça-chave para o crescimento das empresas e sua diversidade. Entre os participantes estão Tadeu Nardoti, CEO da Novellis; Vera Espírito Santo, doméstica; Thula Pires, professora da PUC; e Maria Magal, atriz e produtora.

NO PRELO
Próximos lançamentos
A Nova Fronteira lança, este mês, três boxes especiais: Eça de Queirós, com O Crime do Padre Amaro, O Primo Basílio e Os Maias (dia 20); David Copperfield, de Charles Dickens, com dois volumes (dia 20 também), e O Segundo Sexo, em edição comemorativa (e dois volumes) pelos 70 anos da obra de Simone de Beauvoir (dia 31).
*
Tem também Angústia, de Graciliano Ramos, pela Record (dia 4), e Sagarana, o primeiro de Guimarães Rosa pela Global (dia 18).
*
E três livros com temática ‘familiar’: Elegia do Irmão, de João Anzanello Carrascoza, pela Alfaguara (dia 12); Revolução Laura: Reflexões sobre Maternidade e Resistência, de Manuela D’Ávila, pela Belas-Letras (dia 4), e Maternidade: Um romance, misto de ficção e autorreflexão, de Sheila Heti, pela Companhia das Letras (dia 15).

FICÇÃO
Liberdade
As Coisas Como Elas São, de Laurie Frankel, é uma das apostas da HarperCollins para outubro. Bem-recebida nos EUA, a obra conta a história de uma criança transgênero e da luta de sua família para protegê-la.
*
Depois de quatro meninos, o casal ainda tentou uma menina, e nasceu mais um garoto – Claude, que sempre usou vestido e queria ser princesa. Os pais querem sua felicidade, mas ainda não estão prontos para encarar o mundo. Eles decidem, então, recomeçar a vida em uma outra cidade para que Claude viva como quiser.

MERCADO
Para exportação
O projeto Brazilian Publishers, uma parceria da Câmara Brasileira do Livro com a Apex-Brasil para a internacionalização da produção editorial brasileira, fechou 2018 com um total de US$ 2 milhões em negócios realizados pelas editoras participantes.
*
O valor se refere à venda de direitos de obras brasileiras e também à exportação de títulos brasileiros. Para a CBL, esse bom número é consequência da participação nas feiras de Bolonha, Frankfurt e Guadalajara, e também de missões em Londres, Buenos Aires e Bogotá e outras ações em Sharjah, Istambul e na Bienal de São Paulo.

LIVRARIA
E ponto final
Ontem, 1.º, foi o último dia de funcionamento da Livraria da Travessa da Avenida Rio Branco, no Rio. O Iphan, dono do prédio, pediu o espaço de volta depois de 18 anos. Agora a Travessa prepara a inauguração de suas lojas de SP e Lisboa.

Tendências: