Babel: Editora Nós estreia linha de literatura e psicanálise com obra de Lou Andreas-Salomé
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Babel: Editora Nós estreia linha de literatura e psicanálise com obra de Lou Andreas-Salomé

E ainda: 'A Ciência Como Ela é', o novo romance de Cristovão Tezza, uma nova editora para autoras francófonas e as feiras Miolo(s) e da USP

Maria Fernanda Rodrigues

30 de outubro de 2021 | 03h00

Para começar, uma pequena nota ao leitor da coluna. Em março de 2020, a Babel foi incorporada a uma nova coluna idealizada pelo Estadão para dar dicas de leitura durante o período de isolamento social. De um lado, uma sugestão minha de leitura – lançamento ou não. Do outro, notícias do mercado editorial, livros no prelo, projetos literários, etc. Agora, com o novo formato do jornal, a Um Livro Por Semana passa ser publicada às quartas, no impresso, e ganha um espaço próprio online. E a Babel recupera seu espaço exclusivo aqui, onde minha história com a coluna começou exatamente 10 anos atrás, sempre aos sábados.

Editora Nós estreia linha de literatura e psicanálise com obra de Lou Andreas-Salomé

Lou Andres-Solome (Foto Atelier Elvira)

A Editora Nós inicia, em 2022, uma linha editorial para livros que promovam o diálogo entre literatura e psicanálise. A estreia da Nós Psi será com Retrospecções, autobiografia de Lou Andreas-Salomé (1861-1937), que ganhará apresentação de Inês Pedrosa – a escritora portuguesa é autora de 20 Grandes Mulheres do Século XX e Lou Salomé é uma delas. Esse é apenas o primeiro título do projeto de resgatar a obra da escritora nascida na Rússia e que foi a primeira mulher a frequentar o círculo de Freud. Na sequência, sairá Carta a Freud (publicado originalmente aqui como Carta Aberta a Freud). A correspondência entre os dois também está nos planos. A ideia é dar a ela o mesmo tratamento editorial que a Nós vem dando à obra de Virginia Woolf.
*
Também no ano que vem, a editora lança a série Literatura Essencial à Psicanálise, coordenada pelo psicanalista André Resende e que vai reunir ensaios sobre grandes livros e personagens que foram fundadores dos conceitos psicanalíticos. Resende assina o primeiro, Édipo. Maria Rita Kehl escreve Antígona. E Marcia Tiburi, Hamlet. Isso, para começar.

Ciência e literatura

Mais uma parceria entre o Instituto Serrapilheira e o Suplemento Pernambuco está prestes a sair do papel. Na edição de novembro, começa uma nova série chamada A Ciência Como Ela é, com crônicas e ensaios literários inspirados na vida de cientistas brasileiros. Luís Henrique Pellanda, Allan da Rosa, Tiago Ferro, Carola Saavedra e Luciany Aparecida estão entre os autores confirmados.
*
O primeiro será o perfil, feito por Pellanda, do pesquisador paraense Nilton Barreto dos Santos, biomédico que pesquisava o impacto do novo coronavírus no sistema nervoso central e que morreu em maio, aos 34 anos, vítima da doença.
*
O novo projeto acontece depois da publicação, entre 2020 e 2021, de 12 contos inéditos que usaram pesquisas científicas como motes para ficções fabulativas.

A volta de Beatriz

Cristovão Tezza vai lançar seu terceiro romance pela Todavia no ano que vem. Em Beatriz e o Poeta, o autor (também do superpremiado O Filho Eterno) traz de volta uma personagem que já apareceu em obras como Um Erro Emocional e A Tradutora. Neste novo livro, ela está às voltas com a pandemia e um poeta apaixonado.

Literatura francófona

Nina Bouraoui (Foto: Patrice Normand)

A estreante editora Paris de Histórias acaba de adquirir os direitos de Satisfaction, obra da francesa Nina Bouraoui que foi finalista do prêmio Femina este ano. Escrito em formato de diário, o livro conta a história de uma mulher francesa casada com um argelino, que vive no país do marido na década de 70. E aborda questões sobre a maternidade, a melancolia de um casamento que já não a satisfaz e também o desenraizamento de uma vida no entre-lugar, entre o seu país de origem e o da família que formou.
*
Idealizada pela historiadora Natália Bravo, que vive na França, a Paris de Histórias chega ao mercado este mês e pretende publicar novas vozes da literatura francesa e francófona, além de histórias de autoras que se relacionem com a França a partir de assuntos como política, imigração e feminismo, entre outros. O primeiro lançamento, agora em novembro, será Morrer de Amor, da própria Natália. O segundo livro, que está sendo produzido com o apoio de um edital de tradução, será La Couleur de l’aube, da haitiana Yanick Lahens.

Miolo(s)

Em sua 8ª edição, a Miolo(s), feira de publicações independentes, será realizada entre os dias 1º e 7 de novembro, sobretudo online. Serão mais de 185 horas de programação, e uma homenagem especial a Flavio Oliveiras, também conhecido como Flavão ou Flos, artista baiano, pesquisador de ofícios gráficos, serígrafo, dono de bar e agitador cultural, que morreu em março, em decorrência do coronavírus. A exposição Carrego Nas Mãos o Meu Saber, título também do documentário que estreia agora (veja o trailer abaixo), apresenta, na Biblioteca Mário de Andrade, onde a feira é feita desde o começo, serigrafias, publicações, fotografias e matrizes de impressão do artista. Haverá, ainda, uma roda de conversa presencial com transmissão online sobre o trabalho dele.

A programação é vasta e a a feira em si ocorre nos dias 6 e 7, das 12h às 19h, com 125 editoras, coletivos e artistas de 18 estados, que apresentarão seus trabalhos por meio de transmissões ao vivo no Instagram. A cada hora, um novo grupo de participantes entra no ar, cada um no seu respectivo perfil.


Entre os lançamentos, destaque para Sobre Helen, uma bioficção baseada na história de amor entre Helen Edington e Manoel Andrade, que viveram em Valença (Bahia), no final do século 19 e começo do século 20. A partir de memórias remotas, Arlete Soares inventa o diário da avó inglesa. Com impressão serigráfica e tipográfica e encadernação manual, o livro foi o último editado por Flos e o primeiro a ser lançado pela Ateliê de Ofícios, sua editora. O lançamento contará com a participação de Arlete Soares, Cibele Bonfim e Cecilia Arbolave no dia 2, 19h, no Facebook da feira. Outro livro a ser lançado no evento, dia 5, às 18h, pela Elefante, é Videogame Pandemia, de João Varella, idealizador da feira e editor da Lote 42.
*
Uma novidade deste ano é o Giro Miolo(s), no sábado, 6 – um festival de trailers e novidades dos participantes. O programa será transmitido ao vivo, direto da Biblioteca Mário de Andrade, no YouTube. A Lote 42, por exemplo, vai lançar sua primeira campanha de financiamento coletivo, para uma nova edição da novela gráfica Apocalipse, Por Favor. A programação completa pode ser conferida em www.feiramiolos.com.br.

Prepare o bolso

Vem aí, a Festa do Livro da USP 2021. Online mais uma vez, porque na Feira da USP é impossível manter qualquer tipo de distanciamento, ela vai reunir mais de uma centena de editoras, entre os dias 8 e 11 de novembro, no site www.festadolivro.edusp.com.br. Os descontos são de pelo menos 50%.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.