TBC, uma novela sem fim

João Wady Cury

31 de agosto de 2017 | 12h11

Paira uma promessa no ar: o novo ministro da Cultura quer entregar o Teatro Brasileiro de Comédia (TBC) para a iniciativa privada explorar o espaço a partir do ano que vem – o edital seria publicado ainda este ano. Situado no coração da Bela Vista, em São Paulo, o TBC foi comprado há dez anos pela Funarte por R$ 5 milhões, que diz ter investido R$ 16 milhões em reformas da estrutura do prédio. Não bastou. Seria preciso mais R$ 13 milhões para o teatro funcionar já que seu recheio está podre. A concessão pode ser uma saída, se neste momento de penúria nacional alguma empresa se habilitar nessa aventura. A história do TBC poderia ter um curso mais digno. Não tem. Toda sua história de 69 anos mofa como um baú de fotografias antigas do teatro nacional.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.