Sándor Márai arde em cena

João Wady Cury

08 Setembro 2018 | 11h40

O escritor húngaro Sándor Márai. Companhia das Letras/Divulgação

 

Literatura e teatro em festa. Um dos maiores escritores húngaros do século passado, ao lado de Gyula Krúdy e Imre Kértesz, Sándor Márai terá uma de suas principais obras vertidas para o palco no fim de setembro. As Brasas é sua primeira obra editada no País e foi adaptada para o teatro por Duca Rachid e Júlio Fisher. No elenco, como protagonistas, estão os atores Herson Capri e Genézio de Barros na pele de Henrik e Konrad. A estreia está marcada para o dia 28 de setembro no Sesc Santana e a peça tem direção de Pedro Brício.

 

BRASEIRO DE EMOÇÕES
“O que norteou o nosso trabalho foi a paixão pelo livro, uma obra instigante, com tantas camadas”, conta Duca, que leu As Brasas quando escrevia o seriado Sítio do Picapau Amarelo, com Júlio Fisher, em 2005. A paixão foi dupla. “O que mais me toca é a questão da amizade entre esses dois homens, uma amizade que atravessa décadas, sobrevive a guerras e se mantém em pé, diante da derrocada de um império.” A peça, como o romance de Márai, tem de tudo: jogos de poder, erotismo e paixão. “As paixões que, no fim das contas, movimentam o mundo”, diz Duca.