Novo TBC tem projeto pronto na gaveta

Novo TBC tem projeto pronto na gaveta

João Wady Cury

08 de setembro de 2017 | 21h09

Vista da rua. Fachada refeito Foto: Urdi Arquitetos/Ilustração 3D

 

O Teatro Brasileiro de Comédia (TBC) pode até seguir o caminho da privatização, como quer o novo ministro da Cultura, mas é bom que se saiba. O governo federal, leia-se Funarte, investiu quase R$ 20 milhões na compra e reforma do prédio e já tem projeto arquitetônico pronto para ser executado. Basta tirá-lo da gaveta. A criação é do arquiteto Alexandre Liba, da Urdi Arquitetura, e recupera totalmente a edificação, inclusive com aprovação dos órgãos de defesa do patrimônio histórico, pois é tombado. Quer mais? Confira: www.urdi.com.br.

 

MINISTRO CAMPARI

Na discussão sobre a privatização do TBC nem a memória dos mortos tem sido respeitada. A vítima, desta vez, foi o empresário italiano Franco Zampari (1898-1966), fundador e administrador do histórico teatrão. O nome de Zampari foi parar em uma b0ca errada semana passada. Durante entrevista a um programa de rádio em São Paulo, o ministro da Cultura, Sá Leitão, referiu-se ao fundador do TBC como Franco “Campari”. Poderia ser um equívoco, claro, tantos nomes a guardar naquela cachola que o vivente acaba, pobrezinho, se atropelando. Mas, não. Leitão, além de não corrigir o erro, repetiu a dose. Duas doses de Franco Campari na cabeça em tão pouco tempo de conversa.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.